A atual complexidade da situação social, económica e política que enfrentamos e que se tornou mais evidente com a recente crise, conduziu ao aumento das incertezas e dificuldades dos consumidores relativamente à tomada de decisões ao nível financeiro.

Conscientes da necessidade de um maior controlo dos gastos e das receitas e da importância da definição de um orçamento sustentável em todas as decisões financeiras que são tomadas, os consumidores aperceberam-se do quão relevante é adquirir noções de literacia financeira que possam contribuir para uma maior estabilidade das contas familiares e dos próprios mercados financeiros.

Neste sentido, a noção de literacia financeira prende-se com a capacidade de tomar decisões financeiras de forma consciente e devidamente informada sobre as consequências de cada decisão tanto ao nível do orçamento familiar, como de opções de poupança ou de recurso ao crédito em condições sustentáveis.

As organizações, enquanto fonte de trabalho e rendimento dos colaboradores, devem ter um papel ativo na sua formação para que estes possam adquirir as competências financeiras necessárias que evitem situações de instabilidade, stress e ansiedade no local de trabalho resultantes de dificuldades associadas a uma gestão ineficiente das contas pessoais.