Pesquisar
Contactos

Pedra Base - Consultoria e Formação

Equipa Comercial
+351 211 396 466
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Lisboa
Rua Andrade Corvo nº 27 3º Esq.
1050-008 Lisboa, Portugal
Lat: 38.729909, Long: -9.147464
+351 211 396 466
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Registe-se na Newsletter





Corporate Wellness

Ação de Sensibilização na Prevenção de Comportamentos Aditivos

 

Diversos estudos epidemiológicos indicam que existe uma significativa relação de causa-efeito entre o consumo de substâncias psicoativas e a ocorrência de problemas no local de trabalho como a violência, o presentismo, o assédio, o absentismo e o aumento de número de acidentes.

Deste modo, torna-se relevante a adoção de programas preventivos que assegurem a produtividade e a competitividade das organizações, tendo em conta que a implementação de um plano de prevenção evita o gasto bem mais avultado em eventuais despesas com o tratamento e resolução dos danos causados.

As consequências ao nível do local de trabalho vão muitas vezes de encontro a um desgaste ao nível cognitivo, físico e psicológico do colaborador e ainda a uma perturbação na organização e na segurança do ambiente de trabalho.

Alinhamento com a ISO 45001

A Pedra Base intervém ao nível da formação no âmbito da ISO 45001, disponibilizando ainda toda a informação às organizações que pretendam saber mais sobre a norma e respetivos requisitos. Em breve a Pedra Base também disponibilizará o serviço de consultoria para apoiar as empresas no alinhamento dos respetivos sistemas de gestão com os requisitos da ISO 45001.

 A ISO 45001 Occupational Health & Safety Management System é um referencial normativo em preparação pelo grupo ISO, que irá substituir a OHSAS 18001 na abordagem à Segurança e Saúde nas Organizações. Em Outubro de 2016, a ISO lançará assim uma norma de requisitos, alinhada com a ISO 9001 Quality Management e ISO 14001 Enviromental Management, bem como com outros documentos-chave, que proporcione às organizações uma visão mais holística e exigente da prevenção, da saúde e da segurança dos seus colaboradores.

 

 

A Pedra Base é reconhecida pelo CWII – Corporate Wellness International Institute como empresa especializada na consultoria em bem-estar e os seus consultores são certificados.

A Pedra Base está integrada no grupo de trabalho que, no âmbito da Comissão Técnica 165, ONS APEE, está a desenvolver a norma portuguesa de requisitos para o bem-estar nas organizações, designada norma de "Valores Éticos, Bem-estar Organizacional e Responsabilidade Social Interna".

Apoio a Processos de Mudança

 

Sendo a mobilidade uma realidade muito atual nas organizações, com a transferência de colaboradores para as mais variadas partes do mundo, a integração de pessoas oriundas de outros países traz novos desafios.

Para quem chega, pode ser difícil a compreensão e integração na nossa cultura, mais ainda quando trazem a sua família. Para as empresas, é importante que o acolhimento e integração na sociedade portuguesa seja rápida e eficiente para que a pessoa possa estar plenamente apta a desempenhar as suas funções.

Como obter mais informações?

Para obter mais informações sobre o serviço Corporate Wellness da Pedra Base, contacte-nos para agendamento de reunião.

O bem-estar e saúde dos colaboradores influencia diretamente a produtividade da sua organização.

Torne a sua organização saudável e produtiva!

Corporate Wellness

A Corporate Wellness (CW) é um conceito novo mas com largos anos de experiências em várias partes do mundo. De facto, a sua ausência na Europa resulta da extensão dos programas de saúde proporcionados pelo Estado Providência e pela exigência legal dos programas de saúde ocupacional.

A necessidade

Nas ultimas décadas, na Europa e Estados Unidos, o trabalho evoluiu de uma base predominantemente de força física para a ação mental, exercida à secretária, ao volante, na consola de uma máquina ou semelhante.

Como resultado positivo, o mercado de trabalho tornou-se mais acessível à mulher mas, em contrapartida, deu origem a um estilo de vida pouco saudável com reduzido ou nulo exercício físico. Essa questão foi agravada pela separação entre as zonas onde o trabalho é exercido e os “dormitórios” onde se encontra a família e o lar. O tempo de deslocação substitui-se ao tempo de lazer e o fim-de-semana foi gradualmente invadido pelo trabalho em excesso ou pela necessidade de manter informação e competências, quando não é totalmente preenchido pela assistência familiar e repouso.

Assim, a inatividade, a má nutrição, o tabagismo e os excessos em consumos conduziram ao crescimento de estados não saudáveis como diabetes, doenças de coração e pulmões, alergias e depressão. O resultado no trabalho demonstra-se pelas ausências por doença ou redução de capacidade e qualidade de resposta, mesmo quando presente.

Origem do Conceito

Algumas empresas em Portugal têm procurado estimular nos seus colaboradores estilos de vida mais saudáveis, chegando mesmo a oferecer no local de trabalho apoio de nutrição, combate ao tabagismo ou ginástica laboral. Estes programas têm também surgido como atividades “outdoor”, nas quais o colaborador é colocado em ambientes exteriores para praticar atividade física ligeira, em equipas “ad hoc”, reaprendendo um convívio que a atual forma de trabalho não proporciona. Surge assim o conceito de “bem-estar no local de trabalho” ou “workplace wellness”, que integra a Corporate Wellness mas não a esgota.

De facto, a saúde mental é interlocutora da saúde física e não existem uma sem a outra. No mesmo sentido, a saúde mental dos colaboradores é fortemente afetada por stress ilegítimo e descontrolado. A depressão, por exemplo, é uma consequência de múltiplos fatores como o assédio moral, a má gestão das capacidades e competências do trabalhador, a pressão para resultados fora do seu controlo ou possibilidade. A má gestão de pessoas pode levar a situações cujo resultado prático é a perda de saúde da pessoa e a doença na organização. Implícito no conceito de CW está também o cuidado com a família do colaborador, na medida da possibilidade de intervenção da organização, nomeadamente através do respeito pelo tempo que este deve dedicar à sua vida familiar.

Com o desenvolvimento da Responsabilidade Social, a CW ganhou o seu enquadramento como resposta a expectativas dos colaboradores enquanto parte interessada interna e como esforço de redução de impactes negativos sobre a vida das pessoas, a par da maximização de impactes positivos no mesmo domínio. Assim, a CW é um desenvolvimento voluntário da Saúde Ocupacional.

Enquadramento

A CW inscreve-se num dos princípios estratégicos do Plano Nacional de Saúde Ocupacional (PNSO), onde pode ler-se: Promoção de ambientes de trabalho saudáveis, em que para além de condições de trabalho seguras possibilitem aos trabalhadores alcançar elevados níveis de conforto e bem-estar fisico, mental e social, e o context de trabalho ofereça oportunidades para a melhoria da saúde individual e o reforço de práticas e estilos de vida saudáveis. Como consequência desse princípio, o Objetivo 4 do PNSOC consiste na “promoção da saúde e práticas de trabalho e estilos de vida saudáveis”.

Com uma redução cada vez mais acentuada da proteção dispensada pelo Estado em cuidados de saúde, a par da situação económica debilitada das famílias, as organizações ver-se-ão na eminência de cuidar dos seus trabalhadores para manter os níveis de capacidade, aptidão, disponibilidade, motivação e empenho que constroem a sua competitividade. Assim, a CW tenderá a crescer em Portugal, principalmente através de programas de apoio nutricional, “fitness” laboral, gestão de stress e modificação de hábitos.

Áreas de Intervenção

As intervenções ao nível da CW poderão compreender uma dimensão individual ou coletiva. Conheça os diferentes tipos de intervenções que a Pedra Base proporciona, adaptadas à realidade da sua organização.

Elaboração de Manuais de Acolhimento

 

O manual de acolhimento é uma ferramenta que promove a integração dos novos colaboradores nas organizações e que facilita a criação de um sentimento de pertença. Este manual integra as informações mais importantes sobre a organização que permitem dar a conhecer a estrutura, o funcionamento, as regras, o modelo de negócio e outras questões que contribuam para um bom ambiente de trabalho.

Deste modo, este instrumento é desenhado a pensar nos novos colaboradores e essencial na superação dos primeiros eventuais obstáculos para que, de forma breve, consigam alcançar um bom desempenho sócio-profissional.

A aposta no acolhimento e integração dos novos colaboradores ajuda-os a ultrapassar a ansiedade e desconforto inicial associados ao confronto com uma organização diferente.
É importante salientar que a socialização deve ser um processo contínuo vivenciado pelo trabalhador na organização, e não somente um momento isolado e limitado aos primeiros dias.

Gestão de Incidentes Críticos

 

O Plano de Apoio ao Empregado pode ser complementado com a Gestão de Incidentes Críticos, solução de ajuda pontual às organizações que as prepara em situações de emergência, ajudando as chefias a lidarem com situações inesperadas no local de trabalho.

Os eventos recentes que têm abalado o mundo relembram-nos que situações perigosas podem acontecer em qualquer parte e a qualquer um de nós. Alguns dos incidentes críticos que merecem atenção por parte das organizações são:

- morte de um colaborador ou familiar deste;
- acidentes de trabalho graves;
- atos de terrorismo ou qualquer outro tipo de violência;
- suicídio de um colaborador ou familiar deste;
- entre outros.

A par com outras medidas de promoção de bem-estar e saúde organizacional, o Plano de Apoio ao Empregado Integrado contribui para o desenvolvimento de uma cultura organizacional alinhada com um conjunto de valores adotados pela organização.

Ginástica laboral

 

A ginástica laboral é uma forma de atividade física de cariz voluntário com curta duração, que funciona como pausa durante o horário de expediente e que decorre no próprio local de trabalho.
Pela curta duração do programa, esta modalidade não causa fadiga nem transpiração e é realizada pelos colaboradores interessados de forma coletiva.

A prática de ginástica laboral tem como objetivo fortalecer e estimular os músculos mais afetados durante o período de trabalho de forma a prevenir problemas e lesões e a fomentar o bem-estar e as relações interpessoais nas organizações.
Outros benefícios que estão associados à ginástica laboral são a redução dos níveis de dores musculares, a diminuição do absentismo, o aumento da produtividade e da boa disposição e bem-estar na execução das tarefas laborais.

A ginástica laboral pode ainda ser realizada no início da jornada de trabalho como forma de aquecimento dos músculos, durante o período de trabalho de maneira a interromper a monotonia operacional e a dar novo alento ao trabalho ou no fim da jornada de trabalho com o objetivo de reduzir a tensão muscular.

Lifestyle Wellness

Lifestyle Wellness

 

O Lifestyle Wellness prende-se com a implementação de políticas e ações internas que promovem o bem-estar individual dos colaboradores, as quais contemplam questões relacionadas com a prática de exercício físico de forma regular, a escolha por uma alimentação mais saudável, a erradicação da problemática das adições e a prevenção e vigilância de possíveis doenças. Através da promoção de hábitos mais saudáveis, as organizações podem esperar uma melhor performance e um aumento significativo da produtividade dos seus colaboradores.

Desafios:

  • Promover uma alimentação saudável
  • Fomentar a prática de atividade física de forma regular
  • Combater as adições (tabaco, álcool, medicamentos…)
  • Promover uma mentalidade crítica e de responsabilização sobre a gestão da própria saúde
  • Proporcionar a vigilância e a prevenção de doenças nos colaboradores
  • Promover o envelhecimento saudável ao longo do ciclo de vida

Soluções:

·    

Nutricoaching

 

As sessões de Nutricoaching são um método altamente diferenciador que procuram aliar a nutrição clínica às mais avançadas técnicas de coaching com acompanhamento motivacional que permitem alcançar mais fácil e rapidamente os objetivos delineados.

A missão deste conceito em contexto laboral passa por ajudar os colaboradores a alcançarem uma melhor qualidade de vida através de uma alimentação e estilo de vida mais saudáveis, através de uma aposta num maior auto-conhecimento sobre as causas dos desequilíbrios alimentares e sobre quais os objetivos e passos a tomar. A aposta neste serviço possibilita ainda a aquisição de uma visão holística do indivíduo, tratando cada cliente como pessoa única que é e, desta forma, adquirir uma relação mais adequada com a alimentação.

Nas sessões de Nutricoaching são abordados temas e delineados objetivos concretos relacionados com hábitos alimentares e estilos de vida como a intenção de perder peso, de praticar exercício físico, controlar a fome emocional, entre outros.

O que é Corporate Wellness?

 

A Corporate Wellness é uma dimensão da Responsabilidade Social Interna - RSI - da organização e traduz-se na promoção da saúde mental e física dos colaboradores para aumentar o seu bem-estar e influenciar o seu estilo de vida.

A saúde das pessoas é afetada por múltiplos fatores que devem ser analisados, de modo a apoiar as organizações no desenvolvimento de um ambiente e local de trabalho saudáveis, onde pessoas e equipas se comprometem com os objetivos e conseguem conquistar resultados.

Com o desenvolvimento da Responsabilidade Social, a Corporate Wellness ganhou o seu enquadramento como resposta às expetativas dos colaboradores enquanto parte interessada interna e como esforço de redução de impactes negativos sobre a vida das pessoas, a par da maximização de impactes positivos no mesmo domínio.

Origem e Enquadramento do Conceito

Áreas de Intervenção

Tendo como ponto de partida uma visão holística da pessoa, desenhámos quatro eixos estratégicos que devem ser tidos em conta pelas organizações para promoção do bem-estar e consequente aumento de competitividade:

Diagnóstico e avaliação do Bem-Estar Organizacional

O diagnóstico de bem-estar organizacional é um processo implementado pela Pedra Base para identificar e caraterizar as necessidades e áreas de desenvolvimento em termos do bem-estar dos colaboradores na organização.

A realização do diagnóstico é a base para a construção de um programa eficaz de intervenção ao nível do bem-estar, pois assegura a definição de medidas enquadradas nas reais necessidades e prioridades da organização, promove a abertura à implementação destas medidas, legitima as ações a empreender, fundamentando-se na auscultação e participação dos colaboradores e das estruturas de gestão e liderança. Fundamenta-se nas seguintes atividades:

  • Estudo de Clima e Bem-estar;
  • Entrevistas exploratórias;
  • Análise de indicadores RH;
  • Sessões de discussão em grupo/focus group;
  • Análise de políticas e práticas da organização.

Do diagnóstico resulta um relatório com a identificação e sistematização de resultados, em termos de indicadores avaliados e orientações para a conceção do Plano de Bem-Estar. 

Fases de Implementação

 

O bem-estar e saúde dos colaboradores influenciam diretamente a produtividade da sua organização.

Para obter mais informações sobre o serviço Corporate Wellness da Pedra Base, contacte-nos para agendamento de reunião.

 


A Pedra Base é reconhecida pelo CWII – Corporate Wellness International Institute como empresa especializada na consultoria em bem-estar e os seus consultores são certificados.

A Pedra Base está integrada no grupo de trabalho que, no âmbito da Comissão Técnica 165, ONS APEE, está a desenvolver a norma portuguesa de requisitos para o bem-estar nas organizações, designada norma de "Valores Éticos, Bem-estar Organizacional e Responsabilidade Social Interna".

O que é Corporate Wellness?

 

A Corporate Wellness é uma dimensão da Responsabilidade Social Interna – RSI - da organização e traduz-se na promoção da saúde mental e física dos colaboradores para aumentar o seu bem-estar e influenciar o seu estilo de vida.

A saúde das pessoas é afetada por múltiplos fatores que devem ser analisados, de modo a apoiar as organizações no desenvolvimento de um ambiente e local de trabalho saudáveis, onde pessoas e equipas se comprometem com os objetivos e conseguem conquistar resultados.

Com o desenvolvimento da Responsabilidade Social, a Corporate Wellness ganhou o seu enquadramento como resposta às expetativas dos colaboradores enquanto parte interessada interna e como esforço de redução de impactes negativos sobre a vida das pessoas, a par da maximização de impactes positivos no mesmo domínio.

Continuar a ler

Áreas de Intervenção

Tendo como ponto de partida uma visão holística da pessoa, desenhámos quatro eixos estruturais que devem ser tidos em conta pelas Organizações para promoção do bem-estar e consequente aumento de competitividade:

Diagnóstico e avaliação do Bem-Estar Organizacional

O diagnóstico de bem-estar organizacional é um processo implementado pela Pedra Base para identificar e caraterizar as necessidades e áreas de desenvolvimento em termos do bem-estar dos colaboradores na organização.

A realização do diagnóstico é a base para a construção de um programa eficaz de intervenção ao nível do bem-estar, pois assegura a definição de medidas enquadradas nas reais necessidades e prioridades da organização, promove a abertura à implementação destas medidas, legitima as ações a empreender, fundamentando-se na auscultação e participação dos colaboradores e das estruturas de gestão e liderança. Fundamenta-se nas seguintes atividades:

  • Estudo de Clima e Bem-estar;
  • Entrevistas exploratórias;
  • Análise de indicadores RH;
  • Sessões de discussão em grupo/focus group;
  • Análise de políticas e práticas da organização.

Do diagnóstico resulta um relatório com a identificação e sistematização de resultados, em termos de indicadores avaliados e orientações para a conceção do Plano de Bem-Estar. 

Fases de Implementação

 

O bem-estar e saúde dos colaboradores influenciam diretamente a produtividade da sua organização.

Para obter mais informações sobre o serviço Corporate Wellness da Pedra Base,  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.  para agendamento de reunião.

                             

A Pedra Base é reconhecida pelo CWII – Corporate Wellness International Institute como empresa especializada na consultoria em bem-estar e os seus consultores são certificados.

A Pedra Base está integrada no grupo de trabalho que, no âmbito da Comissão Técnica 165, ONS APEE, está a desenvolver a norma portuguesa de requisitos para o bem-estar nas organizações, designada norma de "Valores Éticos, Bem-estar Organizacional e Responsabilidade Social Interna".

Organização e Gestão de Eventos Internos

 

A motivação, satisfação e identificação dos colaboradores relativamente à organização em que estão inseridos também podem ser despoletadas através de eventos internos que vão de encontro às necessidades das empresas.

Desde a organização de festas anuais, lançamentos de produtos ou serviços, conferências ou kick-off's, a Pedra Base disponibiliza soluções customizadas e de excelência que procuram alcançar os objetivos definidos e que promovem o envolvimento dos colaboradores nas ações desenvolvidas.

A organização destes eventos começa por um planeamento onde são definidos os objetivos, pela definição da infraestrutura e equipamentos necessários, pela obtenção de acordos e parcerias de confiança e, numa fase final, pela avaliação do cumprimento do que foi inicialmente proposto.

Origem e Enquadramento do Conceito

Origem e Enquadramento do Conceito

 

Nas últimas décadas, na Europa e nos Estados Unidos, o trabalho evoluiu de uma base predominantemente de força física para a ação mental, exercida à secretária, ao volante, na consola de uma máquina ou semelhante. Como resultado positivo, o mercado de trabalho tornou-se mais acessível mas, em contrapartida, deu origem a um estilo de vida pouco saudável com reduzido ou nulo exercício físico. Essa questão foi agravada pela separação entre as zonas onde o trabalho é exercido e os "dormitórios" onde se encontra a família e o lar. 

O tempo de deslocação substitui-se ao tempo de lazer e o fim-de-semana foi gradualmente invadido pelo trabalho em excesso ou pela necessidade de manter informação e competências, deixando de ser preenchido pela assistência à família e pelo repouso.

Assim, o stress causado, por exemplo, por situações de mudança, a dificuldade de conciliação entre o trabalho e a vida pessoal/familiar, o assédio no local de trabalho, a inatividade, a má nutrição, o tabagismo e os excessos em consumos e/ou comportamentos aditivos, conduziram ao crescimento de estados não saudáveis como diabetes, doenças de coração e pulmões, alergias, ansiedade e depressão. O resultado no trabalho demonstra-se pelas ausências por doença ou redução de capacidade e qualidade de resposta mesmo quando presente, comportamento atualmente designado como presentismo, com níveis superiores ao absentismo.

Segundo a Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho (EU-OSHA), o stress é um dos problemas de saúde relacionado com o trabalho reportado mais frequentemente nos países europeus, contribuindo para cerca de 50% dos dias de trabalho perdidos.
Adicionalmente, um inquérito realizado a 5.000 trabalhadores portugueses entre 2014 e 2015, concluiu que o risco de burnout e a exposição ao stress aumentou de 13% em 2013 para 17,3% em 2015, tendo em conta que quase metade dos inquiridos afirmou estar submetido a situações "com elevado potencial de desenvolver burnout".
Apesar da existência destes problemas, de acordo com o inquérito realizado às empresas por parte da Agência Europeia, cerca de 80% respondeu que não define planos de ação que possam prevenir o stress ocupacional, o bullying e o assédio, o que demonstra que ainda existe bastante trabalho a ser realizado neste âmbito.

Algumas empresas em Portugal têm procurado estimular nos seus colaboradores estilos de vida mais saudáveis, chegando mesmo a oferecer no local de trabalho apoios de nutrição, de combate ao tabagismo e ginástica laboral.
Estes programas têm também surgido como atividades outdoor, nas quais o colaborador é colocado em ambientes exteriores para praticar atividade física ligeira, em equipas ad hoc, reaprendendo um convívio que a atual forma de trabalho não proporciona. Surge assim o conceito de bem-estar no local de trabalho ou workplace wellness, que integra a Corporate Wellness mas não a esgota.

De facto, a saúde mental é interlocutora da saúde física e não existem uma sem a outra. No mesmo sentido, a saúde mental dos colaboradores é fortemente afetada por stress ilegítimo e descontrolado provocado por vezes por inadequado estilo de gestão que pode culminar no assédio moral, na má gestão das capacidades e competências do trabalhador, na pressão para resultados fora do seu controlo ou possibilidade que pode culminar em depressão. 

A inadequada gestão de pessoas pode levar a situações cujo resultado prático é a perda de saúde da pessoa e a doença na organização. Implícito no conceito de Corporate Wellness está também o cuidado com a família do colaborador, na medida da possibilidade de intervenção da organização, nomeadamente através do respeito pelo tempo que este deve dedicar à sua vida familiar, mas também com programas de apoio – literacia e apoio financeiro, serviços de bem-estar, apoio parental e apoio psicológico.

Com o desenvolvimento da Responsabilidade Social, a Corporate Wellness ganhou o seu enquadramento como resposta às expetativas dos colaboradores enquanto parte interessada interna e como esforço de redução dos impactes negativos sobre a vida das pessoas, a par da maximização de impactes positivos no mesmo domínio. Assim, a Corporate Wellness é um desenvolvimento voluntário da Saúde Ocupacional.

A CW inscreve-se num dos princípios estratégicos do Plano Nacional de Saúde Ocupacional (PNSOC), onde pode ler-se: "Promoção de ambientes de trabalho saudáveis, em que para além de condições de trabalho seguras possibilitem aos trabalhadores alcançar elevados níveis de conforto e bem-estar físico, mental e social, e o contexto de trabalho ofereça oportunidades para a melhoria da saúde individual e o reforço de práticas e estilos de vida saudáveis".

Como consequência desse princípio, o Objetivo 4 do PNSOC consiste na "promoção da saúde e práticas de trabalho e estilos de vida saudáveis".
Com uma redução cada vez mais acentuada da proteção dispensada pelo Estado em cuidados de saúde, a par da situação económica debilitada das famílias, as organizações ver-se-ão na eminência de cuidar dos seus trabalhadores para manter os níveis de capacidade, aptidão, disponibilidade, motivação e empenho que constroem a sua competitividade.

Assim, a Corporate Wellness responde às necessidades das organizações e tenderá a crescer em Portugal, principalmente através de programas como os que são disponibilizados pela Pedra Base.

 

PAE - Plano de Apoio ao Empregado

 

A implementação de um Plano de Apoio ao Empregado - PAE - é um investimento na responsabilidade social interna das organizações, com impactes positivos na vida dos colaboradores que encontram assim resposta para muitas questões para as quais não têm tempo nem meios para resolver – otimização de tempo livre para o colaborador, redução dos níveis de stress e ansiedade e horas de produtividade ganhas pela empresa. 

 


Esta solução pode disponibilizar serviços de aconselhamento e acompanhamento a todos os colaboradores da organização e familiares que com eles vivam, serviços de gestão do quotidiano e apoio direcionado aos recursos humanos em casos de incidentes críticos, num programa abrangente e integrado.

 

A base de um programa de apoio ao empregado inclui o apoio legal, psicológico e financeiro através de uma linha telefónica à qual podem recorrer sempre que necessitarem. Esta ajuda é totalmente voluntária e confidencial e pretende-se que a situação seja resolvida num curto espaço de tempo para que o impacte na produtividade seja o menor possível.
A intervenção no âmbito do apoio psicológico passa por ajudar a ultrapassar situações de luto, divórcio, relação com filhos adolescentes e conflitos no trabalho, por exemplo.

 

No apoio legal, as situações mais frequentes relacionam-se com divórcios, matrimónios, partilhas, conflitos com condomínios, minutas de contratos de arrendamento, compra e venda de imóveis, entre outros.

 

Quanto ao apoio financeiro, o aconselhamento vai de encontro à gestão das finanças pessoais e familiares.

O PAE é apresentado em três categorias: Primary Care, Extra Care e Premium Care.  

Para mais informações, consulte-nos

 

 

 

Prevention Workplace Bullying – Política de Tolerância Zero

 

O bullying é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos que normalmente surgem através de relações desiguais de poder.

Este problema é reconhecido mundialmente como uma agressão que deixa marcas para o resto da vida das vítimas e que pode pôr em causa a sua integridade física e psicológica.

Em contexto laboral também ocorrem este tipo de situações, as quais têm vindo a assumir um interesse crescente por parte dos profissionais da área da saúde ocupacional e das próprias organizações visto que, a exposição dos colaboradores a este tipo de situações, além de todas as consequências que traz ao nível individual, constitui também uma ameaça à imagem, confiança, produtividade e competitividade da empresa que não toma as devidas medidas de prevenção.

O bullying no local de trabalho envolve frequentemente o mau uso do poder, no entanto, tanto pode ocorrer entre chefias e subordinados como entre colegas de trabalho.
Este programa pretende prevenir e sensibilizar as empresas e os seus colaboradores para a realidade deste fenómeno de forma a tornar o ambiente de trabalho mais seguro, onde seja possível estabelecer relações mais saudáveis e de mútuo respeito.

Programa Bottom Line

 

Os programas Bottom Line, tal como o próprio nome indica, procuram dar o ponto de partida para a prática de exercício físico de forma mais regular. Adicionalmente à necessidade de adoção de hábitos alimentares mais saudáveis para o alcance de um maior bem-estar dos colaboradores, as organizações devem ainda apostar no incentivo a atividades que combatam o sedentarismo.

Por um lado, a prática de exercício físico torna os colaboradores mais resistentes, mais enérgicos e menos propensos a lesões e desconfortos físicos no local de trabalho, por outro, a implementação deste tipo de programas facilita a promoção do espírito de equipa, do conhecimento mútuo entre os colaboradores e da identificação e integração dos mesmos na organização através de eventos mais dinâmicos e estimulantes.

Programa de Fisioterapia Preventiva

 

Tendo em conta que é no local de trabalho que passamos a maior parte do nosso tempo, os riscos que dele advêm não devem ser ignorados para que as organizações possam dispor de colaboradores ativos, saudáveis e comprometidos.

A qualidade da performance desempenhada pelos colaboradores só pode ser assegurada se a sua saúde e bem-estar for devidamente promovido. É essa a função deste programa e da própria fisioterapia: avaliar, prevenir e garantir a saúde do colaborador no seu local de trabalho.
Para tal, aspetos como a ergonomia, a atividade física laboral e a recuperação de lesões ou desconfortos físicos ocasionados pelas tarefas exercidas durante as horas de trabalho, estão entre os principais elementos trabalhados pelo fisioterapeuta.

Os fatores de risco ergonómico decorrem normalmente da gestão das situações de trabalho, como são exemplo as seguintes: posturas adotadas, movimentos repetitivos, atividades monótonas, manipulação de cargas e esforço físico.

 

Estes riscos podem gerar distúrbios psicológicos e fisiológicos, suscetíveis de provocar sérios danos à saúde do trabalhador e comprometer a sua segurança e produtividade, como por exemplo: cansaço físico, perturbações músculo-esqueléticas, hipertensão arterial, alteração do sono, doenças nervosas, doenças do aparelho digestivo.

Programa Intergeração

 

No contexto atual em que três gerações distintas se encontram ativas, torna-se um grande desafio para as organizações saber colocá-las a trabalhar em conjunto. No entanto, a criação de equipas constituídas por colaboradores de gerações diferentes possibilita uma aprendizagem mútua sobre a cultura, caraterísticas, métodos de trabalho, valores e linguagem que contribuem para a compreensão holística dos problemas e identificação das melhores soluções para negócios ou processos.

Mesmo que não seja possível a formação de equipas intergeracionais, as organizações devem fomentar a implementação de programas de mentoring bilateral que promovam a transferência de conhecimento e uma gestão eficiente do know-how.

Dispomos das competências necessárias para auxiliar na criação de um ambiente de abertura e de inclusão com programas adequados que permitam a participação dos colaboradores no desenvolvimento da organização, independentemente das diferenças existentes nas faixas etárias.

Programas de Voluntariado Corporativo alinhados com o negócio

 

Os programas de voluntariado corporativo prendem-se com a implementação de projetos, por parte das organizações, que põem em prática ações, apoios ou incentivos que procuram promover o desenvolvimento da comunidade envolvente através da participação ativa dos seus colaboradores, envolvendo todos os níveis hierárquicos.

No entanto, para que estes programas se tornem sustentáveis e mais benéficos para ambas as partes (relação win-win), as organizações devem atuar de acordo com a sua missão e valores, com os recursos que dispõem e, preferencialmente, com a atividade profissional que exercem.

Atualmente, a crescente necessidade de adoção de uma postura ética como forma de contribuir para a qualidade de vida em geral e para a proteção do ambiente, conduz também a uma maior fidelização dos stakeholders e visibilidade da responsabilidade social das organizações que, apesar de serem consequências bastante valorizadas, não podem ser consideradas como único fim.

Deste modo, o voluntariado corporativo funciona como uma estratégia de responsabilidade social que integra a relação interna entre os colaboradores e a relação externa estabelecida com a comunidade, fomentando uma maior identificação, satisfação e motivação dos colaboradores e a criação de laços e parcerias com o exterior.

Disponibilizamos as ferramentas necessárias para auxiliar as organizações a cumprirem os objetivos de um programa de voluntariado corporativo que seja devidamente planeado, enquadrado e vivido.

Rastreios

 

Os programas de rastreios e de prevenção têm como objetivo a consciencialização e sensibilização das organizações para a necessidade da promoção da saúde enquanto dimensão fundamental do bem-estar dos colaboradores, atuando sobre diversos fatores de risco que hoje em dia afetam os trabalhadores e, consequentemente, as empresas.

Além disso, o envolvimento das empresas em programas desta natureza possibilita a construção de um maior elo de ligação e de confiança entre os colaboradores e a organização, reduzindo os riscos para o aparecimento de muitas doenças.
O programa de rastreios torna-se, assim, uma ferramenta ao dispor das organizações que fomenta a adoção de estilos de vida mais saudáveis e mais conscientes que têm consequências diretas no bem-estar, produtividade, satisfação e employer branding.

A implementação de ações de rastreio adequadas às necessidades dos trabalhadores torna-as mais eficientes e recompensadoras, sendo possível chegar a um vasto número de colaboradores tendo em conta a brevidade das ações disponibilizadas.

Second Life

 

Com o crescente envelhecimento da população e o aumento da idade mínima para a reforma, a maioria dos anos de vida de qualquer indivíduo são passados ao serviço das organizações. Como forma de combater a crise, a exigência do trabalho é cada vez maior e as inseguranças vividas nos últimos anos contribuem para uma vida mais centrada no trabalho tendo em vista o receio de perderem a sua fonte de rendimento.

Neste sentido, o ritmo acelerado que é próprio do trabalho obriga muitas vezes a que não sejam traçados planos e objetivos para o futuro.
Torna-se relevante que as organizações tenham como objetivo a sensibilização dos colaboradores para a importância de uma preparação para a reforma visto que são muitos os casos de pessoas que, ao transitarem para inatividade sem qualquer projeto, sejam mais infelizes e tenham maior propensão para a depressão.

Num papel de responsabilidade social interna, as organizações devem, de forma preventiva:

• Reconhecer que as necessidades e expetativas dos colaboradores com mais de 45 anos diferem da restante população e que é necessário criar respostas ajustadas;
• Identificar as áreas de intervenção de mudança a nível interno que permitem potenciar o contributo destas pessoas;
• Melhorar a integração intergeracional;
• Implementar um programa ajustado às necessidades dos colaboradores que se inserem neste contexto.

Disponibilizamos informação e ações de sensibilização a colaboradores com mais de 45 anos ou gestores de recursos humanos que pretendam adquirir as competências necessárias para melhor se prepararem ou aconselharem na mudança.

Social Wellness

Social Wellness

 

O Social Wellness é uma dimensão do bem-estar organizacional que procura promover a melhoria das relações existentes entre todos os colaboradores da organização, integrando-os na comunidade envolvente através da participação no seu desenvolvimento. A aposta nesta vertente pretende promover uma gestão do conhecimento mais eficiente, uma maior identificação e compromisso dos colaboradores face à própria organização e o aumento dos vínculos existentes entre os colaboradores, a empresa e a comunidade.

Desafios:

  • Promover a cooperação e a relação entre os colaboradores da organização
  • Desenvolver uma relação mais estreita entre a organização e a comunidade envolvente
  • Permitir uma integração mais eficaz dos novos colaboradores na organização
  • Reduzir o turnover e aumentar a identificação dos colaboradores com a empresa
  • Proporcionar o desenvolvimento das capacidades de liderança
  • Garantir a gestão do conhecimento da organização
  • Aumentar a motivação dos quadros séniores na interação com as gerações mais novas
  • Gerir a sucessão dos colaboradores séniores
  • Entender a pessoa enquanto cidadão autónomo e socialmente participante, independentemente da sua idade
  • Abordar com realismo o processo de envelhecimento e a necessidade de uma vida ativa depois do trabalho

Soluções:

Worklife Services

 

Com o objetivo de facilitar a conciliação da vida privada com a vida profissional, os Worklife Services intervêm no sentido de resolver questões do dia-a-dia que podem ser tratadas por terceiros:


- gestão documental;
- assistência no lar;
- cuidados com familiares;
- procura de escolas e colégios infantis, campos de férias, atividades extra-curriculares e professores de apoio;
- viagens e outras alternativas de lazer;
- entre outros.


Existe ainda a possibilidade de usufruir de um portal personalizado e ajustado à realidade de cada coletivo onde são colocadas informações sobre os mais variados temas (guias de bem-estar, programas em família, receitas saudáveis, informações úteis...) que sejam tanto do interesse do colaborador como da organização.

Worklife Wellness

Worklife Wellness

 

O Worklife Wellness reúne um conjunto de programas que visam responder às expectativas das pessoas relativamente ao trabalho em estreita relação com os seus valores pessoais, necessidades familiares e expectativas de crescimento profissional. Aqui a conciliação torna-se essencial, alinhada com a nova tendência em Worklife Design, combatendo os desequilíbrios que originam baixos níveis de produtividade, taxas de presentismo elevadas e fraco comprometimento das pessoas para com a organização onde trabalham.

Desafios:

  • Diminuir o presentismo e absentismo laboral
  • Reduzir os níveis de ansiedade e de stress
  • Fomentar a conciliação da vida profissional, familiar e pessoal
  • Otimizar a gestão do tempo e aumentar a produtividade individual
  • Melhorar o clima organizacional
  • Atrair, reter e motivar colaboradores de elevado potencial
  • Reduzir a taxa de turnover  
  • Apostar no desenvolvimento das pessoas, aumentando assim a flexibilidade e a mobilidade dentro da organização
  • Reduzir as desigualdades e assimetrias entre homens e mulheres, fomentando a harmonização das responsabilidades das mulheres e dos homens no que respeita ao trabalho e à família

Soluções:

 

Workplace Wellbeing

Workplace Wellbeing

 

O Workplace Wellbeing pretende auxiliar as organizações na definição de uma cultura sustentável que contemple os benefícios da medicina ocupacional de forma a transformá-las num friendly workplace. Este eixo do bem-estar organizacional atua na redução dos riscos associados ao trabalho que podem afetar os colaboradores tanto a nível físico como psicológico, assegurando a sua segurança e bem-estar quando confrontados com situações mais difíceis e desafiantes.

Desafios:

  • Reduzir os riscos psicossociais, definindo uma cultura sustentável de medicina ocupacional
  • Prevenir os riscos ergonómicos
  • Prevenir as doenças crónicas
  • Aumentar a resiliência emocional
  • Prevenir situações de intimidação sistemática

Soluções:

 

 

Workshop de Literacia Financeira

 

A atual complexidade da situação social, económica e política que enfrentamos e que se tornou mais evidente com a recente crise, conduziu ao aumento das incertezas e dificuldades dos consumidores relativamente à tomada de decisões ao nível financeiro.

Conscientes da necessidade de um maior controlo dos gastos e das receitas e da importância da definição de um orçamento sustentável em todas as decisões financeiras que são tomadas, os consumidores aperceberam-se do quão relevante é adquirir noções de literacia financeira que possam contribuir para uma maior estabilidade das contas familiares e dos próprios mercados financeiros.

Neste sentido, a noção de literacia financeira prende-se com a capacidade de tomar decisões financeiras de forma consciente e devidamente informada sobre as consequências de cada decisão tanto ao nível do orçamento familiar, como de opções de poupança ou de recurso ao crédito em condições sustentáveis.

As organizações, enquanto fonte de trabalho e rendimento dos colaboradores, devem ter um papel ativo na sua formação para que estes possam adquirir as competências financeiras necessárias que evitem situações de instabilidade, stress e ansiedade no local de trabalho resultantes de dificuldades associadas a uma gestão ineficiente das contas pessoais.

Workshops Mindfulness no trabalho

 

O dia-a-dia de qualquer organização leva a que os seus colaboradores experienciem constantemente diversos tipos de situações no local de trabalho que podem conduzir tanto à sua plena realização pessoal, como a sentimentos de stress, ansiedade, desânimo ou frustração. Estas podem ou não decorrer diretamente das tarefas e do trabalho em si mas, independentemente da fonte das emoções, torna-se difícil não as expressar durante o horário laboral, acabando por afetar a produtividade dos colaboradores.

A prática de mindfulness tem-se revelado cada vez mais comum no mundo ocidental como forma de cuidar e atenuar diversas condições físicas e mentais, incluindo a ansiedade, a prevenção de recaídas depressivas e até o tratamento de comportamentos aditivos. Adicionalmente, tem ganho popularidade no mundo inteiro como um método de excelência para lidar com as emoções e com as situações que vão acontecendo no dia-a-dia.

Desta forma, é realmente possível mudar a forma como se gere e reage, por exemplo, a situações geradoras de stress, dando-lhe uma ferramenta valiosa para ficar mental e fisicamente saudável.

Os programas de mindfulness começaram a ser implementados nas empresas como formas de melhorar o bem-estar dos colaboradores, reduzindo o stress e melhorando a saúde dos mesmos. Esta prática já foi adotada a nível internacional por grandes empresas, revelando muitos benefícios para os colaboradores e para as empresas.