Com o crescente envelhecimento da população e o aumento da idade mínima para a reforma, a maioria dos anos de vida de qualquer indivíduo são passados ao serviço das organizações. Como forma de combater a crise, a exigência do trabalho é cada vez maior e as inseguranças vividas nos últimos anos contribuem para uma vida mais centrada no trabalho tendo em vista o receio de perderem a sua fonte de rendimento.

Neste sentido, o ritmo acelerado que é próprio do trabalho obriga muitas vezes a que não sejam traçados planos e objetivos para o futuro.
Torna-se relevante que as organizações tenham como objetivo a sensibilização dos colaboradores para a importância de uma preparação para a reforma visto que são muitos os casos de pessoas que, ao transitarem para inatividade sem qualquer projeto, sejam mais infelizes e tenham maior propensão para a depressão.

Num papel de responsabilidade social interna, as organizações devem, de forma preventiva:

• Reconhecer que as necessidades e expetativas dos colaboradores com mais de 45 anos diferem da restante população e que é necessário criar respostas ajustadas;
• Identificar as áreas de intervenção de mudança a nível interno que permitem potenciar o contributo destas pessoas;
• Melhorar a integração intergeracional;
• Implementar um programa ajustado às necessidades dos colaboradores que se inserem neste contexto.

Disponibilizamos informação e ações de sensibilização a colaboradores com mais de 45 anos ou gestores de recursos humanos que pretendam adquirir as competências necessárias para melhor se prepararem ou aconselharem na mudança.