Esta ação tem como objetivo apoiar os responsáveis pela gestão de pessoas, na sensibilização para a temática da gestão das competências dos seniores, do impacte nas equipas e na integração do Programa Second Life nas suas estratégias de recursos humanos.

Enquadramento

O aspecto mais original do envelhecimento humano não reside, nem na morte celular, nem no desgaste dos tecidos, nem na diminuição das funções ou dos recursos, nem simplesmente na acumulação de conhecimentos e experiência, mas na possibilidade que uma vida mais longa oferece de multiplicar, enriquecer e refazer, à medida que se avança na idade, as re-interpretações das experiências passadas, dos projectos e das esperanças.
Philibert, in Laville (1989)

Na União Europeia, entre 1960 e 1999, o número de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos passou de 49 para 80,3 milhões, estimando-se que em 2020, a população idosa europeia atinja os 27%, ou seja, mais de 100 milhões.

Em Portugal, prevê-se que até 2050 o peso relativo da população idosa seja de 32%, sendo que em 2015 a estrutura etária da força de trabalho atingiu o pico mais alto em termos de envelhecimento da população ativa. Aliado a este fator temos a questão da longevidade, pois a esperança média de vida aumentou significativamente nas últimas décadas e o designado período de idade ativa já não corresponde aos padrões de outrora.

A verdade é que esta realidade coloca novos desafios às organizações e é necessário encontrar soluções viáveis e adequadas a este contexto.

No quadro da Responsabilidade Social, faz parte das atribuições das organizações preparar os colaboradores que vão entrar nesta nova fase da sua vida, apoiando-os na continuação da sua atividade, na transição para a senioridade, na identificação de um novo começo ou na perda de vínculo. O Programa Second Life integra-se na Estratégia de Bem-Estar Organizacional e visa proporcionar aos colaboradores apoio estruturado neste processo.

 

 

Programa
  1. 1. Contexto económico e social do século XXI
    1.1. Quadro sócio-económico
    1.1.1. A globalização
    1.1.2. A redefinição do papel do Estado
    1.2. O funcionamento do mercado de trabalho e o envelhecimento demográfico
    1.3. Conceito de qualidade de vida

    2. Prolongamento da vida ativa
    2.1. O que significa o prolongamento da vida ativa?
    2.1.1. O conceito
    2.1.2. Aquisição de novas competências
    2.1.3. Aplicação dos conhecimentos de vida
    2.1.4. O papel na família
    2.1.5. O papel na organização

    3. Desafios do envelhecimento na vida ativa
    3.1. Factores condicionantes do desempenho
    3.1.1. Perfil dos colaboradores mais velhos
    3.2. Contributo para a Sociedade

  2. 4. Oportunidades no envelhecimento na vida ativa
    4.1. Diagnóstico de competências – ferramentas de auto-diagnóstico
    4.2. Identificação de interesses e expetativas
    4.3. Projetos de Empreendedorismo
    4.4. Projetos de apoio à Comunidade
    4.5. Particularidades do Voluntariado
Objectivos

No final da formação, os participantes estarão em condições de:

  • Compreender o conceito de envelhecimento na vida activa;
  • Reconhecer os principais impactes do quadro socioeconómico do século XXI na relação mercado de trabalho e envelhecimento da população;
  • Identificar os desafios e as oportunidades do envelhecimento na vida activa; 
  • Identificar os interesses, expetativas para esta nova fase da vida.
Duração

Duração: 14 horas

O programa desta acção pode ser adaptado em função das necessidades da sua organização. Consulte-nos!