Pesquisar
Contactos

Pedra Base - Consultoria e Formação

Equipa Comercial
+351 211 396 466
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Lisboa
Rua Andrade Corvo nº 27 3º Esq.
1050-008 Lisboa, Portugal
Lat: 38.729909, Long: -9.147464
+351 211 396 466
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Registe-se na Newsletter





Notícias
Ação de Formação - Diretiva Europeia Divulgação de Informação Não Financeira 2014/95/UE

Ação de Formação - Diretiva Europeia Divulgação de Informação Não Financeira 2014/95/UE

Nos próximos dias 3 e 5 de maio a Pedra Base realiza, em Lisboa e no Porto respetivamente, em parceria com a Sustentare, um Curso de Formação sobre a Diretiva Europeia 2014/95/EU, no âmbito da divulgação de informação não financeira.

Nesta ação serão apresentados o âmbito e objetivos da Diretiva, os requisitos para a divulgação da informação por parte das empresas e os referenciais e normas a adotar para o cumprimento dos mesmos.

No âmbito do compromisso das empresas no domínio da Responsabilidade Social, enquanto agentes económicos com impactes significativos na sociedade, no ambiente e na economia nacional, esta Diretiva permitirá maximizar o contributo das organizações para o desenvolvimento sustentável, através da implementação efetiva de requisitos ambientais e sociais nas suas práticas operacionais.

Por: Inês Ribeiro Soares | Consultancy and Services Department Head

Inscrições & Informações
211 396 466 | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Consulte aqui o programa

 

Seminário Novos Referenciais para o Sistema de Compliance

Seminário Novos Referenciais para o Sistema de Compliance

No próximo dia 23 de novembro a Pedra Base realiza, em parceria com a Bureau Veritas, um Seminário para apresentação dos novos referenciais ISO nas áreas da Prevenção da Corrupção (ISO 37001) e das Compras Sustentáveis (ISO 20400) e do requisito do Relato de informação não financeira (Diretiva n.º 95/2014), que entrará em vigor a partir de janeiro de 2017. Neste evento será ainda apresentado o trabalho desenvolvido pelo Grupo CSR Europe e a sua aplicação prática em Portugal, no domínio da Responsabilidade Social Corporativa.

No âmbito do compromisso das empresas com a sua atuação no vasto domínio da Responsabilidade Social, enquanto agentes económicos com impactes significativos na sociedade, no ambiente e na economia nacional, estes novos referenciais normativos nas áreas das Compras Sustentáveis [ISO 20400] e da Prevenção da Corrupção [ISO 37001] permitirão maximizar o contributo das organizações para o desenvolvimento sustentável, através da implementação de mecanismos de gestão das compras mais sustentáveis, que permitam selecionar os produtos e serviços com o menor impacte ambiental, social e económico e por outro lado, minimizar o risco de corrupção, através de mecanismos e ações eficazes na gestão da atividade.

Por: Inês Ribeiro Soares | Consultancy and Services Department Head

Inscrições & Informações
217 981 130 | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Fatores de Sucesso de um Programa de Corporate Wellness

Fatores de Sucesso de um Programa de Corporate Wellness

 
Existem alguns fatores chave na implementação de um programa de Corporate Wellness, segui-los encaminha-o para o sucesso, ignorá-los pode levá-lo ao fracasso.
 
 
Deixamos aqui alguns dos que consideramos mais importantes:
  • Envolvimento dos líderes das organizações – é crucial para um envolvimento mais efetivo dos colaboradores que os gestores de topo sejam os embaixadores do programa, bem como a designação de pessoas-chave dentro da empresa que funcionem como motivadores para todo o coletivo.
  • Alinhamento estratégico – um programa de CW tem de estar alinhado com a Missão, Valores e identidade da empresa, só assim se passa de um mero conjunto de iniciativas para uma mudança organizacional – o bem-estar passa a fazer parte dos valores da organização.
  • Elaboração de diagnóstico – perceber quais são as necessidades reais das pessoas e a partir daqui elaborar um programa de CW ajustado.
  • Definição de um plano operacional – a elaboração de um cronograma de trabalho, com ações a serem desenvolvidas durante, pelo menos, 12 meses, permite que se comparem resultados e que se percebam as mudanças na vida das pessoas e dentro da organização.
  • Acessibilidade – transversal a todos, os Planos de CW devem estar ao alcance de qualquer pessoa que trabalhe na empresa e devem ser simples, keep it simple. 
  • Plano de Comunicação eficaz – não adianta desenvolver um programa se não for bem comunicado, permanente, consistente e com capacidade de “abanar” a mentalidade das pessoas para que a mudança se verifique.
  • Parcerias – uma boa rede de parcerias é fundamental para dar continuidade ao programa dentro e fora da organização.
  • Acompanhamento/Reportes – fundamental para mostrar à empresa o retorno do investimento que foi feito e para que sejam efetuadas as alterações necessárias.
  • Confidencialidade – a privacidade dos dados de cada um tem de ser mantida ao longo de todo o programa.

 

 

 

Programa de Apoio ao Empregado & Programas de Corporate Wellness – O Casamento Perfeito

Programa de Apoio ao Empregado & Programas de Corporate Wellness – O Casamento Perfeito

 

Saúde mental e saúde física, não existem uma sem a outra.

Um bom Programa de Apoio ao Empregado permite reduzir significativamente os índices de stress e ansiedade em que as pessoas vivem, bem como a probabilidade do aparecimento de doenças do foro mental. A depressão aumenta a um nível alarmante e é a doença que mais tem crescido nos países desenvolvidos, sendo também a causa de maior incapacidade para o trabalho.

Segundo a Direção Geral de Saúde, Portugal tem uma das maiores taxas de consumo de ansiolíticos e é um dos países do mundo em que o consumo de álcool é mais elevado. Um Programa de Apoio ao Empregado que integre apoio psicológico, legal e familiar (entre outros) permite que as pessoas da sua Organização tenham ajuda imediata, gratuita, ilimitada e confidencial, antes que seja tarde demais, para que possam desenvolver as suas funções em ótimas condições e o mais rápido possível, após situações delicadas. 

Estando a promoção do bem-estar mental diretamente relacionada com a promoção do bem-estar físico, as probabilidades de uma pessoa que goza de uma boa saúde mental sofrer de problemas físicos como doenças cardiovasculares ou lesões músculo-esqueléticas diminui.

Os serviços de apoio à conciliação da vida pessoal, profissional e familiar são também uma fonte de bem-estar para a pessoa que se vê confrontada diariamente com situações que provocam grande ansiedade e distração. Um PAE complementado com estes serviços – Work-Life Services tornam ainda mais eficaz este programa.

Os Programas de Corporate Wellness aliados a um PAE transformam a sua Organização, e surgem como resposta às crescentes exigências do mercado. Uma combinação de ações e atividades orientadas para a criação de um ambiente de trabalho saudável e inspirador, ao mesmo tempo que rentabiliza o investimento feito na contratação, formação e desenvolvimento profissional da sua força de trabalho.

Na Pedra Base desenvolvemos vários programas em quatro eixos estruturais, para ajudar as empresas a encontrarem as melhores soluções para cada coletivo, contribuindo assim para a melhoria dos resultados da sua empresa.  

São muitos os benefícios desta abordagem holística da Saúde levada para dentro das organizações, quando se verificam mudanças positivas nos estilos de vida das pessoas e na capacidade que as empresas ganham em reter e captar os melhores profissionais que já consideram o bem-estar condição essencial para trabalhar.  

Regina Cruz | Corporate Wellness Senior Project Manager

 

 

 

Nova data | Ação de Formação | Implementação de um Sistema de Gestão da Responsabilidade Social pela NP4469-1

Nova data | Ação de Formação | Implementação de um Sistema de Gestão da Responsabilidade Social pela NP4469-1

 

Dia 21 de setembro a Pedra Base irá realizar uma nova data para ação de formação compacta em Implementação de um Sistema de Gestão da Responsabilidade Social pela NP4469-1. 

Ser socialmente responsável vai muito para além do cumprimento de todas as obrigações legais, implicando responsabilização pelos impactes quer das decisões da organização, quer das atividades que desenvolve, numa ótica de diálogo com as partes interessadas, visando o bem-estar da sociedade.

Potencie a competitividade da sua organização e a diferenciação nos processos de internacionalização.

Após a ação estará apto a:

  • Compreender o enquadramento e a evolução do conceito da responsabilidade social a nível nacional e internacional
  • Integrar a responsabilidade social no sistema de gestão da organização;
  • Identificar as partes interessadas e os aspetos de responsabilidade social.
  • Interpretar os requisitos da norma NP 4469 – Sistema de Gestão da Responsabilidade Social e utilizar o guia.

Por: Anabela Vaz Ribeiro | Partner da Pedra Base


Inscrições & Informações
Maria Gabriela De Sá | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | 217 981 130
Valor do curso por participante: 220,00€ (isento de iva)
(Desconto de 10% para mais de duas inscrições da mesma organização)
Consulte aqui o programa.

Ação de Formação | Implementação de um Sistema de Gestão da Responsabilidade Social pela NP4469-1

Ação de Formação | Implementação de um Sistema de Gestão da Responsabilidade Social pela NP4469-1

 

Dia 2 de setembro a Pedra Base irá realizar uma ação de formação compacta em Implementação de um Sistema de Gestão da Responsabilidade Social pela NP4469-1. 

Ser socialmente responsável vai muito para além do cumprimento de todas as obrigações legais, implicando responsabilização pelos impactes quer das decisões da organização, quer das atividades que desenvolve, numa ótica de diálogo com as partes interessadas, visando o bem-estar da sociedade.

Potencie a competitividade da sua organização e a diferenciação nos processos de internacionalização.

Após a ação estará apto a:

  • Compreender o enquadramento e a evolução do conceito da responsabilidade social a nível nacional e internacional
  • Integrar a responsabilidade social no sistema de gestão da organização;
  • Identificar as partes interessadas e os aspetos de responsabilidade social.
  • Interpretar os requisitos da norma NP 4469 – Sistema de Gestão da Responsabilidade Social e utilizar o guia.

Por: Anabela Vaz Ribeiro | Partner da Pedra Base


Inscrições & Informações
Maria Gabriela De Sá | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | 217 981 130
Valor do curso por participante: 220,00€ (isento de iva)
(Desconto de 10% para mais de duas inscrições da mesma organização)
Consulte aqui o programa.

O alinhamento do Controlo de Gestão com os Sistemas de Gestão

O alinhamento do Controlo de Gestão com os Sistemas de Gestão

 

Qual o impacto da nova estrutura de alto nível das normas para a gestão das empresas?

O mote do documento (Annex SL) foi o de construir uma base e estrutura comuns a todas as normas de Sistema de Gestão da ISO, sejam específicas de um setor ou genéricas, sejam normas de requisitos ou linhas de orientação, para que daqui para a frente sejam utilizados os mesmos termos e definições e seja facilitada a integração de diferentes referenciais normativos nos Sistemas de Gestão das organizações. O Sistema de Gestão e não os Sistemas ou as áreas ou os departamentos.

Por outro lado, a recente revisão de algumas “normas de Sistemas de Gestão”, nomeadamente a ISO 9001 e a ISO 14001, traduz uma abordagem que reforça e consolida a integração da Gestão da empresa, em que os reais indicadores de gestão são devidamente acompanhados pelos sócios/administradores/acionistas, com o “Sistema de Gestão da Qualidade” ou com o “Sistema de Gestão Ambiental. É mais um reforço para a utilização da “qualidade” (seja lá o que isso significa exatamente para o nosso cliente) como uma ferramenta útil e pertinente de apoio à gestão, quando devidamente aplicada ao “contexto da organização”, interno e externo, considerando os processos chave que permitem o funcionamento eficaz e a melhoria dos resultados da empresa e integrando o feedback e expectativas das partes interessadas relevantes na melhoria e revisão contínuas da forma como trabalhamos, seja na produção de produtos em série, seja na prestação de um serviço.

Então qual o impacto do Anexo SL no Controlo de Gestão?

O Anexo SL tem a ver com a Sincronização [das normas e dos referenciais] e a Literacia [da gestão]. Tem a ver com o Saber [sobre o contexto da organização, as necessidades e expetativas das partes interessadas, a forma de exercer a liderança] e a Leitura [dos registos e dos resultados]. Tem a ver com o Ser [a missão e a visão] e o Legado [da organização]. Através de uma implementação eficaz, dos requisitos de cada referencial, e adequada ao contexto e ao mercado onde a organização atua, a Gestão poderá usufruir de um controlo mais rigoroso da sua atividade, ganhando em capacidade de organização e estrutura, capacidade de liderança, capacidade de planeamento, capacidade de análise e avaliação e foco no resultado.

Inês Soares | Consultancy and Services Department Head  

 

CWII Award's 2016 – Assessoramos a sua Candidatura

CWII Award's 2016 – Assessoramos a sua Candidatura

 
Na Pedra Base, com o apoio dos nossos especialistas em Corporate Wellness, ajudamos a sua Organização na preparação da candidatura ao Corporate Wellness Award's 2016.
 

Fazemos o levantamento das boas práticas existentes, analisamos a documentação e articulamos o projeto com as políticas existentes internamente, integrando-o na categoria mais adequada.

 

O CW Award's é uma iniciativa da CWII – Corporate Wellness International Institute, que distingue as Organizações que apresentam políticas, práticas e ações relevantes no quadro da Responsabilidade Social Interna. 
 
Pode consultar o regulamento aquiConsulte-nos!

 

 

 

 

Corporate Wellness é uma Dimensão da Responsabilidade Social Interna

Corporate Wellness é uma Dimensão da Responsabilidade Social Interna

 

A Corporate Wellness é uma dimensão da responsabilidade social interna que engloba o conjunto de políticas e ações desenvolvidas pela organização que visam promover a saúde física e mental, a integração social, o desenvolvimento pessoal e profissional dos colaboradores e o seu bem-estar em geral.

Os Programas de Bem-Estar Organizacional assentam assim numa visão 360º sobre o colaborador que ultrapassa os limites dos períodos de trabalho. A empresa que trabalha para alcançar o bem-estar do colaborador, diagnostica as necessidades da pessoa em todas as dimensões e fases da sua vida, com vista a ter pessoas e equipas saudáveis, bem geridas, que exerçam a sua competência de forma plena, comprometidas com objetivos e resultados.

No contexto atual, em que as pessoas vivem com instabilidade, redução de rendimento e um ambiente conjuntural desfavorável, os programas de CW juntamente com a adoção de comportamentos e atitudes que o promovam, são ótimos aliados das empresas, pois o bem-estar dos colaboradores tem impacto direto no negócio, não fossem estes a parte mais importante de uma organização.

Existe assim uma interdependência entre bem-estar e trabalho, com impactos positivos ou negativos, dependendo do que se faz para promover ou não esta relação. E esta interdependência pressupõe uma espécie de responsabilidade compartilhada: da pessoa dentro da organização realizar plenamente as suas funções, e da organização em proporcionar as condições adequadas, nomeadamente ser um local seguro, saudável, equilibrado e potenciador de desenvolvimento profissional. Ao trabalhar os níveis de motivação intrínseca a empresa está também a abrir caminho para a mudança e para ter pessoas e equipas mais felizes e resilientes. 

Outro ponto importante é a adequação de programas a cada coletivo, uma espécie de tailor made program, que não pode ser estático e evolui à medida que se conhecem os resultados. Esta é a chave do retorno do investimento em programas de CW, e o que distingue estes programas de outros existentes em Portugal. 

As organizações estão a mudar: co-habitam no mesmo espaço 3 gerações (boomers, Geração X e os Milenares), as tecnologias dominam a forma como trabalhamos (a qualquer hora e em qualquer lugar) e a taxa de incidência de stress em Portugal é de 59%, segundo a Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho. 

Esta nova realidade coloca aos líderes das empresas novos desafios, e boas oportunidades de fazer a diferença. Se a saúde é influenciada por hábitos e estilos de vida saudáveis, e se é no trabalho que passamos a maior parte dos nossos dias, potenciar a saúde e o bem-estar dos colaboradores como parte integrante de uma política de Responsabilidade Social Interna deve ser uma prioridade. 

Na Pedra Base desenvolvemos planos de CW que ajudam as empresas a tornar esta realidade possível. A partir das necessidades das empresas e das pessoas, desenvolvemos programas à medida que podem ser de desenvolvimento de competências em stress management – aumentando a resiliência emocional e ajudando na gestão dos desafios do dia a dia; Planos de Apoio ao Empregado integrados – que fomentam a conciliação da vida profissional, pessoal e familiar e ajudam nas situações de imprevisibilidade da vida; programas de medicina ocupacional - atuando na prevenção de riscos psicossociais, ergonómicos e na prevenção de doenças crónicas; ações de promoção de uma alimentação saudável, combate a adições ou programas que promovam o envelhecimento saudável e ativo, estas e outras medidas orientadas para a construção de uma cultura organizacional.

É este o papel da Pedra Base na Corporate Wellness, um aliado estratégico das empresas na área da saúde e bem-estar organizacional.


Regina Cruz | CW Senior Project Manager, Pedra Base

 

 

ISO 9001:2015 | Planear a Transição

ISO 9001:2015 | Planear a Transição

 

Já começou a planear a revisão do modelo de Gestão da sua empresa com base nos novos requisitos? O quê? Como? Quem? Quando?

      • Como analisar e adequar ao contexto interno e externo da organização?
      • Como integrar a filosofia do "pensamento baseado no risco"?
      • Como simplificar a estrutura documental?
      • Como reforçar o compromisso e envolvimento da gestão de topo?
      • Como controlar melhor a qualidade do produto/serviço e aumentar o foco no resultado?

O que mudou? | AS 9 PRINCIPAIS ALTERAÇÕES DA ISO 9001:2015

Saiba mais 

O Nosso Compromisso | Relatório anual 2015

O Nosso Compromisso | Relatório anual 2015

“ (…) A nossa missão é contribuir para a melhoria dos resultados dos nossos clientes, através da intervenção sobre o modelo de negócio e do capital de conhecimento. Do nosso ponto de vista a aplicação dos princípios da sustentabilidade no âmbito desse processo resulta num ganho mútuo que vem reforçar as relações e a confiança mútua. “

Conheça o nosso relatório clicando na imagem. 

Corporate Wellness - "Uma dimensão da responsabilidade social interna focada no bem-estar dos colaboradores"

Corporate Wellness - "Uma dimensão da responsabilidade social interna focada no bem-estar dos colaboradores"

 

A responsabilidade social tem sido motivo para as organizações lançarem múltiplas iniciativas dirigidas aos seus mais diversos públicos, desde os colaboradores às suas comunidades de proximidade. As iniciativas e projetos revestem-se de objetivos específicos aos mais amplos, integrados em estratégias de médio e longo prazo das organizações que procuram posicionar-se em determinados meios e fazer chegar a sua mensagem.

Assistimos também ao inverso, em que as organizações sociais e da comunidade procuram empresas e outras organizações para financiar ou apoiar os seus projetos. Surgem assim iniciativas díspares apoiadas pela organização, divergentes da sua atividade e em que as mesmas se envolvem para dar conteúdo à área de responsabilidade social e às quais, na maioria das vezes, os colaboradores da organização são totalmente alheios.

A escassez de recursos, financeiros e humanos, tem vindo a alterar consistentemente esta situação, pois não é possível às organizações apoiarem iniciativas que não contribuem de forma visível para os resultados nem alocar pessoas ao seu acompanhamento se não se justificar ou enquadrar no seu plano estratégico de desenvolvimento. Sendo a causa a escassez de recursos ou outra, a verdade é que as iniciativas avulsas não ajudam ninguém na medida em que não resolvem o problema de quem é apoiado pela falta de envolvimento e de transferência de know how e não contribuem para os resultados da organização se não se enquadrarem na sua estratégia.

A responsabilidade social não serve estes objetivos. Começou assim, nesta perspetiva externa e sobretudo assistencialista, mas tem vindo a mudar para fazer jus à sua definição e assentar na responsabilização da organização pelos impactes que causa nas suas partes interessadas. Assim sendo, a parte interessada em que deve existir maior foco são os colaboradores, pois é sobre estes que recaem alguns impactes positivos e negativos da organização. Positivos os que se relacionam com a manutenção do emprego, condições salariais e de proteção social, desenvolvimento e valorização pessoal e profissional, entre outros. Menos positivos os que se relacionam com o acompanhamento das alterações da organização, particularmente as de redução, degradação de condições, pressão para alcançar os objetivos, inflexibilidade de horários, desconhecimento das situações particulares de cada pessoa. Alguns pensarão, mas o que têm estes fatores a ver com responsabilidade social? E a resposta é: tudo! Uma organização que visa ser socialmente responsável pensa no resultado, mas tem que pensar sobretudo no processo, no que a leva a alcançar esse resultado, na ética com que trata as situações, e isso inclui a forma como as pessoas são geridas. E é isto que nos leva à corporate wellness.

A corporate wellness traduz-se na promoção do bem-estar nos locais de trabalho. Embora muitas vezes associado apenas à saúde física, o bem-estar é mais abrangente, resultando numa integração plena de bem-estar físico, mental e espiritual dos colaboradores.

O bem-estar resulta da interação de diversas tipologias de fatores entre os quais:

  • Os que se relacionam diretamente com o trabalho: como as políticas de recursos humanos e políticas comerciais em que inserem situações como o aumento da pressão para o cumprimento dos objetivos, a polivalência de funções que resulta da saída de pessoas, maior dificuldade em conciliar a vida profissional, familiar e pessoal, sentimento de injustiça no tratamento de situações laborais, entre outros;
  • Os que se relacionam com a situação familiar e pessoal: numa época em que se assistem a múltiplas transformações no mercado de trabalho, todas as organizações integram colaboradores que vivem situações de desemprego na família, situações de endividamento, perda de poder de compra, doença crónica ou prolongada de ascendestes ou descendentes. Estas situações, embora não estejam diretamente relacionadas com o trabalho na organização, são contudo da sua esfera no que respeita ao conceito de corporate wellness.

Todos estes fatores se não forem adequadamente geridos podem conduzir à desmotivação dos colaboradores, à degradação do seu estado de saúde, da sua realização pessoal e profissional, o que se reflete e compromete a eficácia no trabalho e pode potenciar situações, atitudes e comportamentos disfuncionais no trabalho, entre os quais ansiedade ou mesmo depressão.

De facto, o contributo das pessoas é afetado por múltiplos fatores que devem ser analisados, de modo a apoiar as organizações no desenvolvimento de ambientes e locais de trabalho saudáveis, onde pessoas e equipas se comprometam com os objetivos e alcancem resultados, ao mesmo tempo que contribuem para o seu desenvolvimento profissional e pessoal.

O bem-estar é comummente visto como resultando da interação de sete dimensões que influenciam as nossas atitudes, comportamentos e estilo de vida:

  1. Física 
  2. Emocional
  3. Intelectual
  4. Social
  5. Espiritual
  6. Ambiental
  7. Ocupacional

Os Programas de Saúde e Bem-Estar integram uma visão 360º sobre o colaborador que ultrapassa os limites dos períodos de trabalho.

Iniciativas preventivas como uma liderança sensibilizada e bem preparada para despistar e lidar com estes fatores, objetivos definidos em função dos recursos e dos fatores de mercado, medidas de promoção da conciliação trabalho-família, organização do trabalho flexível, adequados métodos de controlo que promovam a autonomia do colaborador, formação e treino adequados à função, programas que asseguram a transição para a reforma, programas de voluntariado, são exemplos de medidas que contribuem para a redução do stress no trabalho, redução das situações disfuncionais, para a satisfação do colaborador e consequentemente para a sua produtividade.

A organização pode ainda combinar essas intervenções com iniciativas mais reativas, mas igualmente valorizadas pelos colaboradores, como a implementação de programas de gestão de stress, combate às adições de álcool, drogas e medicamentos, promoção de um estilo de vida mais saudável, programas de nutrição, rastreios e consultas de diagnóstico, entre outros. Um adequado programa de corporate wellness contém as duas vertentes e sobretudo procura responder às necessidades dos colaboradores.

Por isso, o investimento no bem-estar é um investimento com retorno a curto prazo que contribui para a melhoria da sua saúde e bem-estar dentro e fora da organização. São fatores como este que tornam as organizações mais competitivas.

Anabela Vaz Ribeiro |Partner da Pedra Base

 

 

 

Ação de Formação - Estilo de vida e conciliação da esfera Profissional, Familiar e Pessoal

Ação de Formação - Estilo de vida e conciliação da esfera Profissional, Familiar e Pessoal

 

Dia 21 de junho a Pedra Base irá realizar uma ação de formação em Estilo de vida e conciliação da esfera Profissional, Familiar e Pessoal, terá lugar em Lisboa, entre as 9h30 e as 17h30.

Na atualidade a conciliação do contexto de mercado de trabalho e o modelo de organização da vida familiar apresentam grandes desafios, no sentido da harmonização e equilíbrio entre as diferentes dimensões da vida, nomeadamente a esfera profissional, familiar e pessoal.

Esta ação de formação destina-se a todas as pessoas, nomeadamente gestores e diretores de serviço e colaboradores, que pretendam conhecimento e aprendizagem da conciliação para o equilíbrio das várias esferas. Através de uma perspetiva de criação de valor para todas as partes, aumentando a competitividade das organizações, melhorando a qualidade de vida dos colaboradores e exercitando uma plena cidadania

Após a formação estará apto a:

  • Compreender os principais conceitos associados à conciliação da vida profissional, familiar e pessoal.
  • Reconhecer as causas e as consequências das dificuldades associadas à conciliação.
  • Identificar soluções facilitadoras da conciliação entre vida a profissional, familiar e pessoal.
  • Compreender os benefícios associados para as organizações e para os colaboradores da conciliação.

Por: Anabela Vaz Ribeiro, Partner da Pedra Base


Inscrições & Informações
Maria Gabriela De Sá | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | 217 981 130
Valor do curso por participante: 380,00€ (isento de iva)
(Desconto de 10% para mais de duas inscrições da mesma organização)
Consulte aqui o programa.

Soluções Integradas de Formação

Soluções Integradas de Formação

 

A Pedra Base desenvolveu um conjunto de soluções integradas de formação, que combinam módulos de formação e-learning com formação presencial, dirigidas a todos os que, pela natureza da sua função, enfrentam algumas dificuldades em ausentar-se do seu posto de trabalho.

Soluções apelativas, flexíveis e que se adaptam às empresas que têm delegações e colaboradores dispersos por diversos locais. Esta metodologia permite formar um elevado número de participantes ao mesmo tempo, respeitando os níveis de aprendizagem e as suas necessidades individuais.

 


Consulte-nos para mais informações!

Dia Internacional da Família – a Pedra Base no processo de conciliação da esfera profissional, familiar e pessoal

Dia Internacional da Família – a Pedra Base no processo de conciliação da esfera profissional, familiar e pessoal

 

No dia 15 de maio comemora-se o Dia Internacional da Família. Cada vez mais existe por parte das organizações uma preocupação, na conciliação da vida familiar e pessoal com vida profissional, devido ao impacto que gera nestes e na sociedade onde estes se inserem. Assinaladamente na composição da população, nos seus níveis de bem-estar e no desenvolvimento ambiental, cultural e económico.

A Pedra Base de acordo com a NP 4522:201, acompanha as organizações no processo de conciliação da esfera profissional, familiar e pessoal, através do desenvolvimento de uma política de conciliação trabalho-família adequada à natureza do negócio.

 

A NP 4522: 2014 disponibiliza orientações às organizações públicas ou privadas, independentemente da sua dimensão ou atividade desenvolvida, a incorporação, implementação e disseminação de políticas e práticas através de ações coerentes em matéria de conciliação entre a vida profissional, familiar e pessoal, assim como avalia a eficácia das políticas, procedimentos e práticas adotadas na responsabilidade familiar das organizações. Nomeadamente em identificar, estabelecer e implementar políticas e práticas de conciliação entre a vida profissional, familiar e pessoal, bem como assegurar, avaliar, manter e/ou melhorar as políticas e práticas familiarmente responsáveis. 

Consulte aqui o programa.

Contacte-nos para mais informações!

 

 

  

ISO 37001 – Sistema de Gestão Anticorrupção – Lançamento será ainda este ano

ISO 37001 – Sistema de Gestão Anticorrupção – Lançamento será ainda este ano

 

A nova norma ISO 37001: Sistema de Gestão Anti-corrupção deverá ser publicada ainda em 2016, de acordo com a própria ISO (International Organization for Standardization), tendo obtido luz verde de 91% dos países membros.
Esta é uma norma de sistemas de gestão anti-corrupção, que foi desenvolvida para auxiliar as organizações a implementar medidas de prevenção e combate à corrupção e estabelecer uma cultura de honestidade, transparência e integridade, apresentando medidas e procedimentos que uma organização deve implementar, orientações para a sua aplicação, bem como estratégias para detetar situações de corrupção.

A corrupção é um problema grave dos nossos dias, prejudicando as economias e contribuindo assim para uma maior pobreza mundial. Têm sido tomadas várias medidas para o seu decréscimo, como atualização da legislação, acordos internacionais, como o caso das convenções anti-corrupção das Nações Unidas. Neill Stansbury, presidente da comissão que dirigiu a norma, refere que a ISO 37001 vem fornecer as ferramentas e sistemas necessários à diminuição da corrupção.

A ISO 37001 foi concebida para ser implementada por todas as organizações públicas, privadas e voluntárias, nas suas várias dimensões, em qualquer país. A comissão indica tratar-se de uma ferramenta flexível, que pode ser adaptada à natureza da organização, bem como ao tipo de risco de corrupção que ela possa enfrentar. A sua implementação irá incluir a adoção de uma política de anti-corrupção, que requer uma gestão de liderança, na qual deverá ter pelo menos um responsável que monitorize em conformidade as políticas de anti-corrupção, a avaliação dos riscos de corrupção e as tomadas as diligências de acordo com as necessidades levantadas, formação e implementação de controlo e relatórios a nível financeiro e comercial, bem como investigações dos procedimentos.

A Pedra Base desenvolve ações de sensibilização e projetos de Prevenção e Combate à Corrupção que visam criar conhecimento interno sobre a temática e desenvolver nos participantes, sentido crítico perante situações de risco. O plano de prevenção é um instrumento de gestão de risco, onde são mapeados os fatores de risco e a sua probabilidade de ocorrência. O treino dos colaboradores permite identificar sinais de alarme e atuar preventivamente.

Consulte aqui

Ethical Decision Making | Soluções de formação

Ethical Decision Making | Soluções de formação

App e website especializados em identificação das questões éticas e apoio à tomada de decisão 

Atualmente a ética é uma questão urgente para todas as organizações. Múltiplos exemplos de violação ética têm chegado a público com consequências desastrosas para as organizações que as praticaram. O valor e a imagem das organizações é afetada, aumentando a perceção de risco de envolvimento com algumas organizações.

A resposta tem sido o aumento do controlo sobre os colaboradores, programas de ética e compliance restritivos, códigos de conduta que salvaguardam e defendem a empresa da conduta dos colaboradores e auditorias.

A solução que propomos tem um caráter preventivo e pedagógico, passando por formar os decisores na incorporação de uma dimensão ética nos seus processos de tomada de decisão.

Está comprovado que as questões éticas nem sempre são incorporadas ao nível do processo de tomada de decisão. As razões subjacentes são diversas, desde logo, a pressão para a tomada de decisão, as questões económicas como critério fundamental e sobretudo a dificuldade dos decisores identificarem as questões éticas subjacentes.

A Ethical Decision Making App é um instrumento de apoio à tomada de decisão:

  • Simples e disponível à distância de um click
  • Permite harmonizar a tomada de decisão na organização 
  • Regista as opções e as decisões tomadas, para referência futura
  • Permite consultar decisões anteriores
  • Permite acompanhar o desempenho do colaborador
  • A informação registada, pode ser utilizada como input aos processos de formação,  sistemas de controlo, entre outros. 
  • Não requer conhecimentos de informática.
  • Parametrizável de acordo com as diretrizes da organização.

Consulte-nos!

 

ISO 9001:2015 – Uma nova abordagem de Gestão

ISO 9001:2015 – Uma nova abordagem de Gestão

A revisão da norma ISO 9001, publicada em outubro de 2015 no Sistema Português da Qualidade, introduz alterações significativas na conceção ou revisão do modelo de gestão das empresas, nomeadamente ao nível do pensamento estratégico baseado no risco, de um necessário alinhamento da Política da Qualidade com a estratégia de negócio, da interiorização do conceito de partes interessadas na identificação de oportunidades de melhoria e de inovação e da gestão do conhecimento.


O apoio da Pedra Base é realizado através do levantamento dos processos e instrumentos de gestão implementados e da análise da eficácia do Sistema, apresentando em seguida um Plano de Ação para a integração dos novos requisitos da norma ISO9001_2015, bem como ações de melhoria que resultem do diagnóstico inicial. No Plano de Ação definido são previstas ações como: a conceção e implementação de uma metodologia de gestão do risco, ajustada à atividade e contexto envolvente da organização; a revisão do mapeamento dos processos de gestão; a análise e revisão dos indicadores de eficácia do SGQ; a simplificação do procedimento aplicável à gestão documental.

Social Responsibility Basics - Próxima edição em 21 de Janeiro

O consenso internacional quanto à conceção da Responsabilidade Social é que a mesma seja
corporizada por um conjunto de ações que se encontram para além do mínimo legalmente exigível e que pressupõe que a organização cumpre o quadro legal em que opera. Se uma determinada ação pode ser reconhecida como socialmente responsável, só poderá ser considerada socialmente responsável uma organização que, satisfeitos continuadamente os mínimos legais, assume e concretiza ações voluntárias de acordo com as expetativas das suas partes interessadas.
O grupo da ISO apresenta-nos uma definição de Responsabilidade de uma organização pelos
impactes das suas decisões e atividades na sociedade e no ambiente, através de um
comportamento ético e transparente que:
- Contribua para o desenvolvimento sustentável e o bem-estar da sociedade;
- Tenha em conta as expetativas das partes interessadas;
- Esteja em conformidade com a legislação e seja consistente com normas de conduta
internacionais;
- Esteja integrado em toda a organização e praticado nas suas relações.

Social Responsibility Basics é um curso introdutório à temática da responsabilidade social e destina-se a todas as pessoas que estejam a iniciar um percurso profissional neste domínio e que necessitem de conhecer e aprofundar os conceitos e as metodologias associadas à gestão ética e socialmente responsável.

No final da formação os participantes estarão em condições de:
- Compreender os principais conceitos associados à responsabilidade social
- Identificar as principais fases de evolução do novo paradigma de desenvolvimento associado à responsabilidade social e à sustentabilidade.
- Identificar as partes interessadas e os aspetos da responsabilidade social.
- Reconhecer os principais instrumentos da responsabilidade social.

Pode consultar o programa em aqui! 

No entanto, o programa desta ação pode ser adaptado em função das necessidades da sua organização. Consulte-nos!

Novidade para 2016 - Corporate Wellness

Novidade para 2016 - Corporate Wellness

Programas de saúde e bem-estar, uma vertente da responsabilidade social interna
Como tem vindo a ser falado a Corporate Wellness é uma dimensão da responsabilidade social interna que engloba o conjunto de políticas e ações desenvolvidas pela organização com o objetivo de promover a saúde física, mental e social dos colaboradores e o seu bem-estar em geral.
Mas isso por si só não é o suficiente. Para que todo o programa seja devidamente reconhecido e valorizado, A Pedra Base intervém ao nível da formação no âmbito da ISO 45001, disponibilizando ainda toda a informação às organizações que pretendam saber mais sobre a norma e respetivos requisitos. Em breve a Pedra Base também disponibilizará o serviço de consultoria para apoiar as empresas no alinhamento dos respetivos sistemas de gestão com os requisitos da ISO 45001.

A ISO 45001 Occupational Health & Safety Management System é um referencial normativo em preparação pelo grupo ISO, que irá substituir a OHSAS 18001 na abordagem à Segurança e Saúde nas Organizações. Em Outubro de 2016, a ISO lançará assim uma norma de requisitos, alinhada com a ISO 9001 Quality Management e ISO 14001 Enviromental Management, bem como com outros documentos-chave, que proporcione às organizações uma visão mais holística e exigente da prevenção, da saúde e da segurança dos seus colaboradores.

Por isso, o investimento no bem-estar é um investimento com retorno a curto prazo. A nossa recomendação é que invista em programas de Corporate Wellness que tenham significado para os seus colaboradores e que contribuam para a melhoria da sua saúde e bem-estar dentro e fora da organização. São fatores como este que tornam as organizações mais competitivas e valorizadas.


A Pedra Base é reconhecida pela CWII enquanto especialista em Programas de Bem-estar Organizacional!

Service Provider

Está a terminar o prazo para as inscrições no programa “Elevar o Seu Negócio”

Está a terminar o prazo para as inscrições no programa “Elevar o Seu Negócio”

Boa notícia! For prorrogado o prazo para a apresentação de candidatura ao programa “Elevar o seu Negócio”. Termina já no próximo dia 15 de janeiro.

O Programa constitui-se como um instrumento que permite alavancar as empresas de empresários emigrantes portugueses que estabeleceram as suas empresas noutros países, e que desejam estreitar laços com o seu país e a sua região de origem.  

Não perca a oportunidade de voltar ao seu país com o seu negócio, de uma forma sustentada e aconselhada. Temos todas as ferramentas que necessita para poder investir com o apoio necessário.

Conhece alguém a que este programa possa interessar?

Para mais informação clique aqui.

Agenda 20-30 para o Desenvolvimento Sustentável

Agenda 20-30 para o Desenvolvimento Sustentável

“The seventeen Sustainable Development Goals are our shared vision of humanity and a social contract between the world's leaders and the people,” diz o Secretário-Geral das Nações Unidas Ban Ki-moon.

Queremos começar bem este novo período e falar-vos um pouco sobre o que se passa pelo mundo em matéria de sustentabilidade, pois os projetos deste e dos próximos anos devem estar ancorados nestes objetivos.

Os ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milénio deram lugar aos ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, conforme imagem apresentada.
Após 15 anos de trabalho com os ODM e com o alcance de muitas das metas definidas, houve lugar a uma ampla discussão para definir o que deve guiar o mundo na sua intervenção para a sustentabilidade que se designa por Agenda 20-30 para o Desenvolvimento Sustentável. Unanimemente aprovados pelos 193 Estados Membros das Nações Unidas, abordam as necessidades dos países desenvolvidos e em desenvolvimento. 

Os objetivos centram-se nos mais diversos temas, desde a pobreza, a saúde e o bem-estar, qualidade da educação, igualdade de género até ao consumo e produção responsáveis. São 17 objetivos que se desdobram num conjunto de metas específicas por objetivo, num total de 169 metas para um horizonte temporal de 15 anos.

Este ano iremos desenhar programas e projetos em conformidade com esta Agenda Global de forma a que cada intervenção dê o seu contributo para este desígnio global. Todas as organizações podem participar ao seu nível e de acordo com a sua esfera de influência. Os objetivos e as metas serão selecionados de acordo com os objetivos estratégicos, as atividades desenvolvidas e os mercados a alcançar.

Contacte-nos para mais informações!

Pedra Base colabora com o ACM - Alto Comissariado para as Migrações no programa “Elevar o Seu Negócio”

Pedra Base colabora com o ACM - Alto Comissariado para as Migrações no programa “Elevar o Seu Negócio”

O Programa Elevar o Seu Negócio é promovido pelo Governo Português através do Alto Comissariado para as Migrações e visa o apoio ao investimento em Portugal.

Dirigido a empresários portugueses com empresas sediadas no estrangeiro que pretendam estabelecer o seu negócio em Portugal, o programa visa disponibilizar condições para que o possam replicar em Portugal e simultaneamente criar postos de trabalho e contribuir para o desenvolvimento da economia local.

O Programa constitui-se como um instrumento que permite alavancar as empresas de empresários emigrantes portugueses que estabeleceram as suas empresas noutros países, e que desejam estreitar laços com o seu país e a sua região de origem. 

Conhece alguém a que este programa possa interessar?

Mais informação em: http://www.acm.gov.pt/-/elevador-pt

Clique aqui para fazer o download da brochura.

Corporate Wellness – uma vertente da Responsabilidade Social Interna

Corporate Wellness – uma vertente da Responsabilidade Social Interna

Programas de saúde e bem-estar, uma vertente da responsabilidade social interna

A responsabilidade social tem vindo a ser intensamente falada em diversos meios. Algumas vezes apelando-se ao seu conceito central de desenvolver a atividade ao mesmo tempo que se cria valor para as partes interessadas da organização, respeitando a sociedade e o ambiente, outras, pelas iniciativas emblemáticas desenvolvidas pelas empresas. Contudo assiste-se por vezes a um grande enfoque na responsabilidade social externa, que incide sobre as vertentes da comunidade e do voluntariado e menos sobre a responsabilidade social interna, mais ligada ao núcleo da organização que são os colaboradores.

Mas como diz o ditado, temos que começar em “casa”, temos acima de tudo que olhar para as necessidades das pessoas que todos os dias trabalham na organização e contribuem para o seu desenvolvimento e sucesso.

Com todas as transformações a que se assiste no mercado de trabalho, todas as empresas têm no seio das suas equipas colaboradores que vivem situações de instabilidade familiar que podem advir do desemprego na família, de situações de endividamento, de doença crónica ou prolongada de ascendestes ou descendentes ou adições. Estas situações, aparentemente laterais à empresa, são contudo da esfera da empresa no que respeita ao conceito de corporate wellness. Os Programas de Saúde e Bem-Estar Organizacional visam exatamente ter uma visão 360º sobre o colaborador que ultrapassa os limites dos períodos de trabalho. A empresa que se preocupa e que age no sentido de alcançar o bem-estar do colaborador enquanto pessoa em todas as dimensões da sua vida, está a desenvolver responsabilidade social interna onde ela é mais necessária.

Iniciativas preventivas como medidas de promoção da conciliação trabalho-família, possibilidade de trabalhar à distância, um adequado desenho das especificações das funções que permitem ao colaborador fazer pleno uso das suas competências e recursos, adequados instrumentos de acompanhamento e controlo que promovam a autonomia, formação e treino adequados à função, objetivos bem definidos ou programas que asseguram a transição para a vida ativa, são mecanismos que contribuem para a redução do stress no local de trabalho, para a integração e satisfação do colaborador e assim para a sua produtividade.

Iniciativas mais reativas que visam reduzir os níveis de stress, combater as adições, promover um estilo de vida mais saudável, atuar ao nível da nutrição, levar as pessoas a fazer desporto, disponibilizar rastreios e consultas de diagnóstico, são igualmente importantes e valorizadas pelos colaboradores. Um adequado programa de responsabilidade social interna contém as duas vertentes e sobretudo procura responder às necessidades dos colaboradores.

Por isso, o investimento no bem-estar é um investimento com retorno a curto prazo. A nossa recomendação é que invista em programas de corporate wellness que tenham significado para os seus colaboradores e que contribuam para a melhoria da sua saúde e bem-estar dentro e fora da organização. São fatores como este que tornam as organizações mais competitivas.

Anabela Vaz Ribeiro
Pedra Base

Workshop I Successfull Negotiator

Workshop I Successfull Negotiator

Nos próximos dias 26 e 27 de novembro, a Pedra Base irá realizar o Workshop Successful Negotiator, que terá lugar em Lisboa (Picoas), entre as 9h30 e as 17h30.

O Successful Negotiator é um programa interativo, baseado nas metodologias dos Estilos de Comunicação Persona Global: Criar Confiança, Cooperação e Negociação. Durante o workshop de dois dias, os participantes aprenderão a criar relações sustentáveis win-win de longo prazo baseadas na confiança.

Destina-se aos profissionais que tenham como uma das suas funções a negociação – comerciais, gestores, negociadores, gestores de clientes, gestores de equipas, entre outros.

PROGRAMA

Unidade 1 I Estilo de Comunicação
Modelo de Confiança da Persona
Matriz dos estilos de comunicação

Unidade 2 I Confiança & Empatia
Os quatro elementos da Confiança
Comportamentos das pessoas que projetam empatia
Feedback dos estilos de comunicação e empatia

Unidade 3 I Mudança e Comportamento Defensivo
Reconhecimento do estilo de comunicação
Reação de cada estilo à Tensão

Unidade 4 I Flexibilidade
Compreender e praticar a flexibilidade
Defender posição sem prejudicar relação

Unidade 5 I Processo de Negociação
Apresentar benefícios e alcançar os melhores resultados
Processo de Negociação em seis passos:
- Preparação;
- Início;
Descoberta;
Apresentação;
Suporte;
-
Ação.

Atividade intermédia
Jogo Vermelho/Azul - jogo de negociação que coloca em prática simulada as quatro regras básicas da negociação

Unidade 6 I Compreender e Construir a Relação de Negócio
Introduzir dois Valores base e três Práticas basilares
Prática Basilar 1 - Iniciar & Manter Cooperação. Competências, práticas e aptidões
Prática Basilar 2 - Compreender as necessidades dos outros na relação
Prática Basilar 3 - Desenvolver a Confiança na Relação

Unidade 7 I Plano de Ação e Melhoria
Plano de Desenvolvimento Pessoal 

INSCRIÇÕES & INFORMAÇÕES

pedrabase@pedrabase.pt | 217 981 130
Valor do curso por participante: 590,00€ (isento de iva)
[desconto de 15% para mais de duas inscrições da mesma organização]
[desconto de 15% para associados APEE, CWII e GRACE]

Inscreva-se por e-mail ou telefone!

Ação de Formação I Social Responsibility Basics

Ação de Formação I Social Responsibility Basics

No próximo dia 15 de outubro a Pedra Base irá realizar uma ação de formação em Social Responsibility Basics.A formação terá lugar em Lisboa, entre as 9h30 e as 17h30.

Este é um curso introdutório à temática da responsabilidade social que lhe permite conhecer os fundamentos, as etapas de implementação e as principais metodologias associados à gestão ética e socialmente responsável.

Destina-se aos profissionais que desejem integrar a temática em projetos ou programas ou que estejam a integrar a responsabilidade social nos sistemas de gestão das suas empresas.

Conheça aqui o programa do curso!

Equipa de Formadores
Anabela Vaz Ribeiro, Partner da Pedra Base
Rita de Brito Martins, Consultora da Pedra Base

 INSCRIÇÕES & INFORMAÇÕES
Catarina Pinto | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | 217 981 130

Valor do curso por participante: 295,00€ (isento de iva)
[desconto de 10% para mais de duas inscrições da mesma organização]

Inscreva-se por e-mail ou telefone!

GreenFest 2015 - Sessão Pedra Base I Projeto R

GreenFest 2015 - Sessão Pedra Base I Projeto R

Em parceria com o Projeto-R, a Pedra Base irá participar no Greenfest 2015 [www.greenfest.pt], que terá lugar no Centro de Congressos do Estoril entre os dias 8 e 11 de outubro.

A sessão conjunta, intitulada Gray is Gold -  porque a Gestão da Idade/Age Management é estratégica para as organizações, abordará a questão do envelhecimento ativo, enquanto ação de Corporate Wellness.

A sessão ocorrerá no primeiro dia do evento – 8 de outubro – pelas 15h00.

Em breve estará disponível o formulário de inscrição.

Fique atento!

Pedra Base na Revista Business Portugal

Pedra Base na Revista Business Portugal

A nossa fundadora e líder, Anabela Vaz Ribeiro, deu uma entrevista à Revista Business Portugal - edição de agosto!
Leia toda a entrevista aqui.

Pedra Base na Revista Business Portugal

Auditorias de Acompanhamento a Entidades Certificadas pela DGERT

Auditorias de Acompanhamento a Entidades Certificadas pela DGERT

Sabia que a DGERT passará a fazer auditorias de acompanhamento às entidades certificadas?

A partir de setembro de 2015 a DGERT irá levar a cabo auditorias de acompanhamento das entidades formadoras certificadas, de modo a assegurar que os requisitos estão em conformidade.

A sua organização está preparada?

Realizamos Auditorias Internas prévias às da DGERT, para garantir que todos os requisitos estão em conformidade, assegurando a manutenção da certificação.

Antes de ser notificado, contacte-nos e conte com a nossa equipa de consultores especializados!

Pense Bem-estar!

Pense Bem-estar!

O bem-estar das pessoas influencia de forma direta a saúde das organizações.
A Pedra Base compilou em vídeo informação relevante sobre esta matéria, na expetativa despertar consciências e levar as organizações a olharem para os seus colaboradores de uma perspetiva holística.

Pense bem-estar!
bem-estar organizacional

GreenFest 2015 – Sessão Pedra Base I Projeto R

GreenFest 2015 – Sessão Pedra Base I Projeto R

No próximo dia 13 de outubro, vamos realizar um seminário sob o tema A implementação do bem-estar na organização. Para além de oradores especializados e da apresentação de boas práticas por empresas convidadas, vamos lançar um desafio a todas as organizações presentes!

O desafio chama-se 5 STAR Corporate Wellness Program e consiste no lançamento semanal, ao longo de 5 semanas, de um desafio no âmbito do bem-estar das pessoas das organizações inscritas. As respostas aos desafios terão que ser evidenciadas, por exemplo, através de fotografias, que serão divulgadas nas redes nas sociais.

À organização mais votada será atribuído um prémio: vamos oferecer um diagnóstico de bem-estar ao vencedor, a realizar pelos nossos consultores!

Quer participar no Seminário e no Desafio?

Inscreva-se já em aqui

Formação: Bem-estar no trabalho

Formação: Bem-estar no trabalho

O bem-estar das pessoas no local de trabalho assume cada vez maior relevância, tendo em conta os claros benefícios que traz para as organizações.

Pensando nisto e, muita vezes, na ausência de formação na área, lançámos um curso de formação que alia o e-learning a sessões presenciais, dirigido, especificamente, a profissionais da área dos Recursos Humanos que pretendem e sentem necessidade de saber mais sobre o tema.

Como este curso de formação, os participantes serão capazes de caracterizar o conceito de bem-estar, identificando os principais riscos existentes no universo profissional e pessoal, bem como a forma como se refletem no indivíduo, no seu trabalho e na saúde; de implementar estratégias para gestão do stress e de riscos psicossociais; de identificar e adotar comportamentos preventivos; e de enquadrar a dimensão de relacionamento entre pessoas no domínio de bem-estar e identificar o próprio contributo para a promoção do bem-estar de todos os colaboradores na empresa.

Quer saber mais?
Contacte: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. I 217 981 133

O Nosso Compromisso - Relatório Anual da Pedra Base

O Nosso Compromisso - Relatório Anual da Pedra Base

"Estamos no fim do primeiro triénio no que se refere ao relato sobre a forma como desenvolvemos a nossa atividade, pelo que procurámos melhorar a forma como comunicamos o que fazemos, ajustando o nosso reporte às expectativas das nossas partes interessadas significativas. Num período em que o mercado global se encontra em profunda transformação, com desafios cada vez mais exigentes ao nível da transparência nas políticas e práticas das organizações, este relatório constitui o nosso contributo a este nível."

Leia todo o Relatório Anual da Pedra Base aqui.

Sustentabilidade

Sustentabilidade

Em que medida a sustentabilidade faz parte do dia-a-dia e das políticas da sua empresa?
A sustentabilidade tem vindo a assumir um papel preponderante, não só como vértice estratégico de desenvolvimento das sociedades – economia de recursos, redução de impactes ambientais, ... -, como enquanto fator potenciador da capacidade das organizações para se manterem vivas e competitivas. Disto é exemplo a indústria dos festivais de Verão, com um público-alvo exigente, desperto para estas temáticas e com um sentido de responsabilidade social muito apurado – ex.: Festival Andanças [http://www.andancas.net/2015/pt/46/].

A par desta indústria, está a hotelaria, com um público muito diverso, que procura o autêntico. Todas as áreas relacionadas com o turismo devem ter em consideração a educação para a sustentabilidade dos seus colaboradores. Não basta sê-lo, é preciso parecê-lo! Ou seja, as práticas sustentáveis devem ser comunicadas para o exterior, como fator crítico de sucesso, sendo os colaboradores um dos maiores e melhores veículos para tal.

A Pedra Base desenvolve projetos de alinhamento e implementação de referenciais nacionais e internacionais de responsabilidade social, desenho e implementação de códigos de ética e conduta, auditorias no âmbito da sustentabilidade e responsabilidade social e formação em Ética, Responsabilidade Social e Sustentabilidade.

Preocupe-se, seja sustentável, comunique sustentabilidade.

O que é Corporate Wellness?

O que é Corporate Wellness?

Porque o bem-estar dos colaboradores traz produtividade às equipas, lançámos um novo serviço no domínio da responsabilidade social interna, - a Corporate Wellness - orientado para a promoção da saúde mental e física dos colaboradores, para a melhoraria do seu estilo de vida, visando alcançar o bem-estar das pessoas em todas as dimensões da sua vida.

Queremos conhecer melhor o que as empresas conhecem e têm feito neste domínio.
Ajude-nos a atingir esse objetivo participando no Inquérito que lançámos.

Aceda em http://goo.gl/forms/IRokmErO4K

SRS®2015 - Ética na Gestão do Risco

SRS®2015 - Ética na Gestão do Risco

Na 10ª edição da Semana da Responsabilidade Social, a Pedra Base estará novamente presente como coorganizadora, realizando uma sessão dedicada à ética no contexto do risco.

O workshop Ética na Gestão do Risco - Avaliar o risco de uma conduta não ética terá lugar no próximo dia 26 de Maio às 14:00, no CIUL - Centro de Informação Urbana de Lisboa, no Picoas Plaza, em Lisboa.

O evento tem como objetivo sensibilizar para a necessidade de identificar e avaliar o risco inerente à tomada de decisão, alterar a perceção de que o risco é sempre algo negativo e demonstrar como uma “cultura de risco” pode beneficiar a organização. Exemplificaremos diferentes riscos éticos associados à gestão estratégica e operacional e demonstraremos como a inexistência de mecanismos de controlo e acompanhamento podem resultar em consequências significativas ao nível da responsabilidade ou da prestação de contas (accountability) da organização, nomeadamente ao nível da reputação e do resultado financeiro.

Inscreva-se aqui.

Responsabilidade Social e Sustentabilidade - dois aliados do Planeta

Responsabilidade Social e Sustentabilidade - dois aliados do Planeta

Muito se tem vindo a estudar e debater os temas da Responsabilidade Social e da Sustentabilidade, mas talvez seja útil começar por dizer que a emergência de um novo tema corresponde normalmente a uma de duas coisas: uma moda ou uma necessidade. Neste caso, deparamo-nos sem dúvida com uma necessidade. E porquê? Porque uma moda não é objeto de estudo de grandes pensadores, cientistas, economistas e não faz parte da agenda de organizações internacionais responsáveis pelos temas que nos unem enquanto humanidade.

O tema nasce sem designação, fruto de preocupações relacionadas com o crescimento económico, o primeiro pilar da sustentabilidade. Em 1972, no livro “The limits to growth”, resultado de um projeto de investigação do MIT, analisaram-se os limites do crescimento da população, da agricultura, dos recursos naturais, da indústria e da poluição, demostrando a interação existente entre esses fatores e concluindo que o mundo não irá conseguir suportar as taxas de crescimento económico e populacional verificadas nas últimas décadas, a um ritmo de crescimento em 5 biliões de pessoas nos últimos 88 anos - atualmente somos cerca de 7 biliões de pessoas no planeta.

Quinze anos mais tarde, em 1987, a Comissão Brundtland alerta o mundo para a necessidade urgente de focar o desenvolvimento económico numa trajetória sustentável, de forma a não colocar em causa os recursos naturais existentes, nem prejudicar o ambiente. O relatório “Our Common Future” faz nascer o segundo pilar da sustentabilidade – o ambiente – e apresenta pela primeira vez a definição de desenvolvimento sustentável: “aquele que satisfaz as necessidades presentes sem comprometer a capacidade de as gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades”. Uma definição que embora raramente seja observada deste ponto de vista constitui uma das maiores declarações éticas da humanidade.
Em 1995, as Nações Unidas realizam a Cimeira Social de Copenhaga, para encontrar soluções para os problemas da pobreza, desemprego e desintegração social. Este é o momento que marca a integração da vertente social como terceiro pilar do desenvolvimento sustentável e se estabelecem os seus três pilares essenciais: o desenvolvimento económico, a coesão social e a proteção ambiental.
Com o tempo, o termo Sustentabilidade foi ganhando força, pois o que procuramos não é que o atual modelo de desenvolvimento seja sustentável, mas sim encontrar um novo modelo de desenvolvimento resultante da aplicação dos princípios da sustentabilidade, adicionando outras dimensões, como a ética, cultural ou territorial.
Embora seja um tema ainda em estudo e evolução, facilmente se compreende que a Sustentabilidade é um objetivo, algo que todos pretendemos alcançar. Enquanto humanidade, organização, empresa e pessoa. E como passar da teoria à prática? A resposta encontra-se na responsabilidade social: o contributo das organizações (públicas, privadas, empresariais ou outras) para a Sustentabilidade. Um tema com uma história tão rica como a da Sustentabilidade.

Anabela Vaz Ribeiro

Artigo publicado na revista Marketing Farmacêutico

Gestão Estratégica da Responsabilidade Social - Instrumentos & Tendências

Gestão Estratégica da Responsabilidade Social - Instrumentos & Tendências

No passado dia 22 de maio, a Pedra Base concretizou, uma vez mais, a sua presença na Semana da Responsabilidade Social, que conta já com a 9ª edição, na Fundação Cidade de Lisboa.

A sessão, dedicada essencialmente à gestão estratégica da responsabilidade social, teve início com um enquadramento teórico sobre os instrumentos existentes neste âmbito e sobre a sua orientação para a gestão. De seguida, o painel de oradores mediado pela Dr.ª Anabela Vaz Ribeiro discutiu a implementação dos diferentes instrumentos nas suas organizações, dando oportunidade aos presentes de compreender os diferentes desafios associados ao tema da gestão estratégica da responsabilidade social.

A todos os presentes, a Pedra Base deixa uma palavra de sinceros agradecimentos.

Consulte aqui a apresentação da sessão da Pedra Base sobre “Instrumentos & Tendências”.

Pedra Base foi a equipa consultora que apoiou no processo de alinhamento da Portugal Telecom com a NP ISO 26000

Pedra Base foi a equipa consultora que apoiou no processo de alinhamento da Portugal Telecom com a NP ISO 26000

A Pedra Base é a única empresa em Portugal a implementar o alinhamento com a NP ISO 26000:2011 Linhas de orientação da responsabilidade social. Depois da Carris – Transportes de Lisboa, a principal empresa do setor em Lisboa, a Pedra Base encontra-se a trabalhar com o Grupo PT no processo de alinhamento com as recomendações da norma, encontrando-se neste momento outras organizações de referência a dar início aos trabalhos nesse sentido.

Assim, no passado mês de Abril a Portugal Telecom tornou-se na primeira empresa nacional e a primeiro do setor, a nível mundial, a autodeclarar que aplica as recomendações do referencial NP ISO 26000:2011 Linhas de orientação da responsabilidade social como orientação para integrar a responsabilidade social nos nossos valores e princípios de atuação e na gestão do negócio.

O processo, que teve início em junho de 2013, contou com o apoio da equipa de consultores da Pedra Base no que respeita à avaliação e integração das recomendações deste referencial internacional, demonstrando que é assumida a responsabilidade para com os impactes das atividades e decisões nas partes interessadas. O trabalho realizado pela Pedra Base neste âmbito resultou do desenvolvimento de uma metodologia de diagnóstico do nível de alinhamento do Grupo PT com a norma, na análise de iniciativas em curso e na revisão de processos e documentos, um processo a decorrer há cerca de cerca de 10 meses e que se prolongará, com vista ao alinhamento total em todos os temas da norma.

Considerando a referência em termos de sustentabilidade que o Grupo PT representa e o seu vasto histórico nesta matéria, bem como os Sistemas de Gestão Integrados (Qualidade, Ambiente e Segurança) implementados e certificados, as empresas do Grupo PT garantem a total integração dos Princípios e recomendações do referencial NP ISO 26000:2011 nos seguintes temas:

  • Governação Organizacional, 
  • Práticas Laborais e 
  • Ambiente. 

Numa perspetiva de melhoria contínua e contando com a Pedra Base como facilitadora do processo de alinhamento com a NP ISO 26000, o Grupo PT assumiu ainda o compromisso de concluir a integração das recomendações dos restantes temas centrais do referencial:

  • Direitos Humanos, 
  • Práticas Operacionais Justas, 
  • Questões relacionadas com o Consumo e  
  • Envolvimento e Desenvolvimento da Comunidade.
Pedra Base apoia Carris, a primeira empresa em Portugal a integrar o referencial ISO 26000

Pedra Base apoia Carris, a primeira empresa em Portugal a integrar o referencial ISO 26000

A Pedra Base foi a empresa selecionada pela Carris para apoiar na implementação da norma portuguesa de responsabilidade social NP4469 Sistema de Gestão da RS e NP ISO 26000 Linhas de Orientação para a RS. A Carris é uma empresa diferenciada e qualificada em diversos domínios, líder no setor dos transportes e com um sistema de gestão implementado que já seguia outros referenciais, desde a Qualidade, ao Ambiente e Higiene e Segurança no Trabalho, até à certificação de carreiras. Contudo, embora a empresa seja também pioneira na concretização de ações de responsabilidade social, tinha como objetivo adotar um referencial neste domínio.

As principais vantagens associadas ao projeto passam pela organização das políticas e práticas internas de acordo com as tendências e conceitos internacionalmente aceites, a integração das melhores práticas e o reconhecimento das iniciativas e projetos já desenvolvidos neste âmbito.

O alargamento do sistema de gestão à responsabilidade social é um passo importante no caminho da sustentabilidade e promove condutas socialmente responsáveis ao nível de toda a organização.

Câmara de Comércio Luso-Croata

Câmara de Comércio Luso-Croata

Câmara de Comércio Luso-CroataA Câmara de Comércio Luso Croata é uma associação que nasceu no seio da Pedra Base no ano de 2010. O projeto começou por ter como objetivo o estreitamento de relações comerciais entre Portugal e Croácia, por se ter reconhecido o seu enorme potencial e as semelhanças com a nossa cultura, geografia e forma de estar.

Ao explorar algumas oportunidades, enveredou-se pela criação da Câmara de Comércio por se reconhecer esta como a forma mais adequada para o desenvolvimento de relações bilaterais entre os dois países.

Atualmente a Câmara de Comércio Luso Croata conta já com uma base de associados e está empenhada em apoiá-los no seu processo de internacionalização, para que o mesmo decorra com sucesso. Neste âmbito a Pedra Base desenvolveu o Guia de Acesso e Oportunidades de Negócio no Mercado Croata, um instrumento que visa fornecer informação útil sobre o país enquanto mercado e apresentar algumas oportunidades concretas de negócio.

Câmara de Comércio Luso-Croata